9 anos de Fringe nos Açores abre com fogo

A associação MiratecArts apresentou on-line a programação da nona edição do Azores Fringe Festival, que acontece de 1 a 27 de junho 2021, um pouco por todas as ilhas ao vivo e on-line. Este é o festival internacional de artes com maior participação açoriana. Mais de 200 participantes das 9 ilhas dos Açores fazem parte do programa, que inclui cultura artística de, e para, todas as gerações.  

A ilha do Pico, o epicentro do festival, acolhe artistas de outras ilhas e ainda um veleiro francês. “Não será como antes da pandemia” expressa Terry Costa, o coordenador do festival, “mas fico contente que não vamos ter mais um ano só online, como foi no ano passado. A abertura será de portões abertos e com muito fogo, com um evento especial ao qual damos o nome de Queimada.” 

Além dos dois eventos públicos a acontecer nos dias 1 e 10 de junho na MiratecArts Galeria Costa, em que qualquer pessoa é bem vinda, os eventos às quartas-feiras, no Auditório da Madalena, tem lugares marcados e os bilhetes são adquiridos na hora antes da atuação; os eventos de terças à noite, no Museu dos Baleeiros, a audiência pode recolher o seu bilhete em avanço, para assim garantir o seu lugar, inscrevendo-se na receção do Museu nas Lajes do Pico. É nestes espaços que há performance desde o teatro, música, clown e ainda cinema e pintura ao vivo. “Antes fazer para pequenos grupos, do que não fazer” é o mote da MiratecArts nesta nona temporada.

A primeira semana do festival acolhe uma mini-edição do Encontro Pedras Negras dedicado à escrita. Mais tarde, no mês, o primeiro Encontro Açores Oceano Arte vai incentivar para mais arte inspirada pelo mar que nos rodeia. A já tradicional expedição fotográfica no Fringe, este ano, fica limitada para quem está na ilha montanha. 

 Instalações e exposições de arte não vão faltar. De destaque, nesta primeira semana, a arte de pirogravura de Adriana Gonçalves fica patente na galeria do Bar da Gare, na Madalena, e a pintura de Pieter Adriaans, na Atlântico Teahouse. Saudade, pintura por Martim Cymbron continua no Museu da Graciosa.  

Várias entidades pelas ilhas apresentam as sessões de filmes curtas Shorts@Fringe, incluindo o EcoMuseu do Corvo. Na ilha Flores, o programa ao vivo está a ser planeado para o feriado de 10 de junho. Em São Jorge, há um pouco por todo o mês através da equipa do Atelier de Kaasfabriek. Online e a partir da Associação de Violas da Terra, em São Miguel, vai ser apresentado o primeiro Festival da Viola, enquanto que a Escola Tomás de Borba, em Angra do Heroísmo, nos oferece apontamentos on-line dos seus talentosos alunos.  

AA/MA