Assinadas as escrituras de cedência de 9 lotes infraestruturados em Água d’Alto, ilha de São Miguel

A cerimónia de outorga de escrituras de cedência de lotes infraestruturados no Loteamento da Lombinha, na freguesia de Água d’Alto, concelho de Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, a 9 agregados familiares Vila-franquenses, teve lugar a 4 de agosto, presidida pela Secretária Regional da Solidariedade Social.

O evento contou as presenças do Presidente da Autarquia de Vila Franca do Campo – acompanhado pela Vereadora com o pelouro da Ação Social, Conceição Quental – e do Diretor Regional da Habitação,  Orlando Goulart, bem como do Presidente da Junta de Freguesia de Água d’Alto, Emanuel Santos.

Após o momento das assinaturas, Andreia Cardoso considerou o momento como “muito importante, porque é o concretizar de uma campanha de atribuição de lotes a preços acessíveis, com vista a que as famílias, sobretudo mais jovens, possam ter, por esta via, acesso a uma habitação própria permanente.

A governante desejou felicidades às famílias que irão construir habitação nos referidos lotes e lembrou a possibilidade de também poderem candidatar-se a apoios à construção.

Após a cerimónia, teve lugar uma visita a uma habitação de projeto semelhante às que serão construídas a breve prazo.

Governo anuncia disponibilização de 75 habitações em Vila Franca do Campo e na Ribeira Grande através da modalidade de rendas acessíveis

No mesmo dia, o Presidente do Governo Regional, Dr. Vasco Cordeiro, anunciou que vão ser disponibilizadas mais 75 habitações nos concelhos de Vila Franca de Campo e Ribeira Grande, através da modalidade de rendas acessíveis.

O Presidente do Governo falava na cerimónia de atribuição de apoios à recuperação de habitação degradada, no âmbito do programa ‘Casa Renovada, Casa Habitada’, e de assinatura de acordos com juntas de freguesia e instituições de solidariedade social para a eliminação de barreiras arquitetónicas, que ascenderam a cerca de 430 mil euros.

Na cerimónia, Vasco Cordeiro reiterou que a atribuição destes apoios à recuperação de habitação degradada se traduz na assinatura de um contrato entre as entidades públicas e os beneficiários dos mesmos, com responsabilidades entre as duas partes.

Aa/GCCMVFC