Atribuição gratuita de termoacumuladores elétricos inteligentes na Graciosa

O Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas presidiu à sessão pública de apresentação da campanha de atribuição de termoacumuladores elétricos inteligentes na ilha Graciosa, no âmbito do projeto LIFE IP CLIMAZ, que decorreu na Biblioteca Municipal de Santa Cruz da Graciosa.

Para Alonso Miguel, “os efeitos das alterações climáticas já se têm feito sentir de forma evidente nos Açores, especialmente no que se refere à maior frequência e intensidade com que ocorrem determinados fenómenos climatéricos extremos”.

“A forma e a severidade em como a região será afetada pelos impactos das alterações climáticas dependerá da nossa capacidade de mitigação e, sobretudo, da nossa capacidade de adaptação a esta nova realidade, que é inevitável”, afirmou ainda o governante.

Face a este cenário, Alonso Miguel considerou que o projeto LIFEIP CLIMAZ, coordenado pela Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, “é um instrumento fundamental para a operacionalização do Programa Regional para as Alterações Climáticas (PRAC), que irá garantir um investimento global na Região de 19,8 milhões de euros, num período de 10 anos”.

A iniciativa hoje apresentada, que contou com a participação da Diretora Regional da Energia, Joana Rita, prevê a atribuição gratuita de cerca de 1500 termoacumuladores elétricos às famílias Graciosenses, no intuito de promover a substituição de equipamentos de aquecimento de água à base de gás butano, num investimento superior a 650 mil euros, a executar pela Direção Regional da Energia.

A ilha Graciosa reúne condições excecionais para a implementação de uma medida desta natureza, uma vez que, de acordo com Alonso Miguel, “só faz verdadeiramente sentido promover a substituição destes equipamentos por equipamentos elétricos, se a energia produzida provier maioritariamente de fontes renováveis, como já acontece na Graciosa, onde as energias renováveis representam cerca de 65% da energia produzida”.

“Esta é uma medida que irá contribuir para a redução das emissões de gases com efeito de estufa associados à utilização de gás butano, ao mesmo tempo que promove um aproveitamento e uma gestão eficiente dos elevados níveis de penetração de energias renováveis verificados na Graciosa, com a mais-valia, neste caso, de reduzir a dependência da ilha em relação à importação de gás butano”, afirmou o governante.

AA/GRA