Autarquia promove limpeza da plataforma costeira das Lajes do Pico

A Câmara Municipal das Lajes do Pico, em parceria com o Serviço de Ambiente do Pico, realizou uma ação de limpeza da Plataforma Costeira das Lajes do Pico, contando com a participação da Junta de freguesia das Lajes do Pico e da GNR, através do seu Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA).

No âmbito desta ação, os cerca de 20 participantes, providos de máscara e luvas, recolheram na zona da “Maré”, aproximadamente uma tonelada de resíduos, dos quais se destacam 720 kg de madeira, 100 kg de resíduos sólidos urbanos indiferenciados (RSUs), 80 kg de plástico, 40 kg de metais e 20 kg de embalagens de vidro.

Os resíduos recolhidos foram devidamente triados por tipologia e entregues no Centro de Processamento de Resíduos e de Valorização Orgânica por Compostagem da Ilha do Pico.

Esta área, situada na vila das Lajes do Pico e que se estende desde o porto até à sua extremidade sudeste, limitada em cada ponta por uma lagoa de águas salgadas, pouco profundas e abrigadas, conhecidas como a Lagoa de Cima (Noroeste) e a Lagoa da Maré (Sudeste), é a maior plataforma costeira dos Açores e um dos locais privilegiados da ilha para a observação de aves.

Está implantada numa fajã lávica, formada por escoadas lávicas basálticas com grande diversidade de habitats, e rica em prados salgados dominados por juncos (Juncus maritimus e Juncus acutus) e poças de maré, sendo as mais conhecidas a Poça do Cão e a Poça da Barra.

Nesta área emblemática, da Vila Baleeira, encontra-se em curso a implementação, através da Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, o projeto de instalação de um Circuito Interpretativo e de um Posto de Observação de Aves Selvagens, o qual contemplou a recuperação do Moinho do Juncal como posto de observação de aves, com vista privilegiada para a Poça do Cão, com acesso através de um pequeno passadiço suspenso em madeira, bem como uma pequena plataforma a leste de apoio à observação da zona da Poça da Barra, promovendo, desta forma, a preservação do património natural e cultural, e permitindo desenvolver o seu potencial turístico, por via do incentivo à Observação de Aves.

A Plataforma Costeira das Lajes, para além de ser uma Área Protegida para a Gestão de Habitats ou Espécies das Lajes do Pico, integrada no Parque Natural da Ilha do Pico, estando ainda classificada no âmbito da Rede Natura 2000, enquanto Zona Especial de Conservação e Zona de Proteção Especial.

A Câmara Municipal das Lajes do Pico agradece as todas as entidades envolvidas e apela, com o objetivo de contribuir para um município mais limpo para o “não abandono” de resíduos no local que porão em causa a preservação dos ecossistemas costeiros.

AA/CMLP