Aves migratórias nos Açores

Este mês celebra-se o Dia Mundial das Aves Migratórias a 8 de maio. Este dia teve início em 2006, pelo Secretariado do Acordo para a Conservação das Aves Aquáticas Migratórias Afro-Euroasiáticas (AEWA) em colaboração com o Secretariado da Convenção das Espécies Migratórias da Fauna Selvagem (CMS). Um dos objetivos da celebração deste dia é o de consciencializar a população em geral para a importância das aves migratórias nos ecossistemas em todo o mundo, promovendo eventos que aproximem as pessoas destas espécies.

As aves migratórias voam milhares de quilómetros para encontrar as melhores condições ecológicas e habitats para se alimentarem e reproduzirem. O garajau-do-ártico (𝘚𝘵𝘦𝘳𝘯𝘢 𝘱𝘢𝘳𝘢𝘥𝘪𝘴𝘢𝘦𝘢) detém um dos maiores recordes de migração de longa distância para aves, migrando entre a zona de reprodução do Ártico e a Antártica todos os anos. Estudos de anilhagem nesta espécie provaram que um indivíduo marcado na costa este das ilhas britânicas, foi avistado na Austrália, percorrendo cerca de 22.000 km em apenas três meses!. Nos Açores existem relativamente poucos registos desta espécie, no entanto é provável que o garajau-do-Ártico seja comum durante a migração tal como é observado através do seguimento de aves com recurso a geolocalizadores.

AA/LIPAN