Bispo afirma que a experiência da ressurreição de Jesus Cristo “é essencial”

O bispo de Angra disse que a experiência da ressurreição de Jesus Cristo “é essencial” para a diocese, em todas as suas dimensões e comunidades, sobretudo numa altura em que todos os diocesanos são convidados à caminhada sinodal a partir de uma “renovada ação evangelizadora”.

“Se a experiência da ressurreição de Jesus Cristo é fundamental para a vitalidade da vida pastoral da comunidade cristã e para a alegria de cada batizado, é essencial para a nossa diocese, em todas as suas comunidades, serviços e movimentos, carismas e agentes pastorais, quando somos convidados a uma renovada ação evangelizadora através da participação de todos na missão da Igreja”, explicou D. João Lavrador na homilia da Missa de Páscoa, celebrada na Sé de Angra.

D. João Lavrador  destacou  que na ressurreição de Cristo somos “interpelados” a uma vivência cristã a partir de três dimensões da condição de discípulos de Jesus Cristo.

“A primeira refere-se à vida cristã como experiência de encontro com Jesus Ressuscitado; a segunda diz respeito à vida comunitária como essencial para sentir a Ressurreição de Jesus Cristo; e a terceira diz respeito à missão de anunciar e testemunhar Aquele que se nos revelou Ressuscitado”, explicou na Sé de Angra.

D. João Lavrador assinalou que  Maria Madalena, Pedro e João, “no itinerário que os leva ao encontro de Jesus”, reconhecem também que têm necessidade e são desafiados a descentrarem-se de si próprios.

Por isso, se os imitarmos também nós  nos desinstalamos “das nossas comodidades, dos nossos pensamentos e percorrermos os caminhos que nos levam até Jesus de Nazaré”, acrescentou.

Na segunda dimensão, o bispo de Angra incentivou a uma “integração comunitária cada vez mais forte e lúcida” e explicou que sem comunidade, a fé cristã “desvirtua-se em ideologia ou em mera opinião pessoal”.

“Nos tempos em que vivemos, a consciência de participação ativa e consciente na Eucaristia e através dela na comunidade cristã é algo de fundamental para a descoberta de Jesus Cristo vivo e operante na vida de cada um e de cada comunidade”, desenvolveu.

Na homilia do Domingo da Ressurreição, o bispo de Angra apresentou os seus votos de Santa Páscoa “a todos os diocesanos”, na região dos Açores e na diáspora, sobretudo aos “grandes heróis” da pandemia: Governantes, profissionais da saúde, proteção civil, forças de segurança, doentes e famílias, sacerdotes, diáconos, religiosos, leigos e os diversos serviços diocesanos.

O bispo de Angra presidiu a todas as celebrações da Semana Santa e Tríduo Pascal na Sé, este ano já com fieis mas ainda debaixo de fortes constrangimentos sanitários que impediram, por exemplo, a realização de procissões típicas deste tempo litúrgico no arquipélago.

AA/IA