Calisto quer Lagoa mais eficiente e sustentável

O auditório da Câmara Municipal de Lagoa recebeu o congresso “Transição energética nos Açores – o papel das comunidades de energia renovável”. A Presidente da Câmara Municipal de Lagoa marcou presença na sessão da abertura do evento.

Na ocasião, Cristina Calisto salientou que “este é um evento importante que vem sensibilizar os açorianos para um tema de grande relevância na atualidade, sobretudo ao nível da qualidade de vida; da energia; do ambiente e da inovação. Da transição energética depende o nosso futuro, sobretudo, agora, com o atual clima de guerra que vivemos e que nos incita obrigatoriamente à sustentabilidade”.

A Presidente da Câmara Municipal de Lagoa referiu que “existe um compromisso por parte do município de posicionar a Lagoa num concelho mais atrativo e inovador”. Para isso, têm vindo a ser adotadas medidas e projetos relacionados com o tema do congresso, como a aquisição de viaturas elétricas, a disponibilização de carregadores exteriores eficientes e a instalação de um posto de carregamento para viaturas elétricas. Além disso, a autarquia promoveu a iluminação eficiente em edifícios públicos municipais com lâmpadas LED e tem em curso a elaboração do Plano de Medidas de Melhoria de Eficiência Energética.

O passeio marítimo da cidade de Lagoa com a sua ciclovia é outro exemplo de incentivo à mobilidade e à adoção de meios de transporte eficientes, a par do projeto de mobilidade sustentável da Câmara Municipal, que desincentivará o uso de modos motorizados e individuais, reequilibrando a afetação do espaço público aos diferentes modos de deslocação, através da criação de bolsas de estacionamento e a sua interligação regular com os serviços, comércio e equipamentos urbanos, através de um circuito municipal de transporte público de passageiros.

A edil sublinhou, ainda, que “a eficiência energética e as energias renováveis são os dois pilares da política energética sustentável da atualidade” e que “a redução do consumo de energia e a eliminação do desperdício energético são determinantes para uma boa política energética”.

Desta forma, “é importante que estejamos cada vez mais conscientes de que a utilização eficiente, numa base estratégica adequada, que é essencial para a competitividade económica de um país, de uma região, de um concelho ou de uma cidade”, concluiu Cristina Calisto.

Após a sessão de abertura, teve lugar a apresentação de um painel subordinado ao tema «O Papel das Comunidade de Energia Renovável na Transição Energética», moderado por João Belo, Diretor-Geral do Grupo About Media, Revista Água & Ambiente. Participaram neste painel Ana Rita Antunes, da Coopérnico, Nelson Lage, Presidente da ADENE – Agência Portuguesa da Energia, Andreia Carreiro, da Cleanwatts & Kinergy, Fernando Henriques, da EDA – Eletricidade dos Açores, e José Nascimento, da FACIL.

AA/CML