Câmara Municipal da Praia da Vitória apresenta alterações ao projeto do novo bar de apoio à Prainha

O Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória apresentou as alterações ao projeto das novas instalações do bar, balneários de apoio e instalações sanitárias do areal da Prainha, na sequência dos contributos e sugestões recebidos dos munícipes que participaram no período de consulta pública do projeto.

“Um mês depois da apresentação pública do projeto, e após um período de consulta pública, em que muitos foram os munícipes que deixaram contributos e sugestões para melhorar o projeto, os técnicos da Autarquia efetuaram as alterações necessárias, de modo a contemplar as opiniões dadas e apresentamo-las agora tendo em vista a obtenção do maior consenso possível, para que possamos lançar a obra a concurso público”, disse o Autarca.

A sessão de apresentação das alterações ao projeto do bar de apoio à Prainha, que se insere no âmbito do plano integrado de valorização das zonas balneares da baía da Cidade e do prolongamento da Avenida Marginal em passeio pedonal e ciclovia, decorreu na sede do Clube Naval da Praia da Vitória, contando com a presença de vários utilizadores daquela zona balnear, dos responsáveis privados pela exploração do bar, Junta de Freguesia de Santa Cruz, entre outras entidades.

Assim, face ao projeto inicial e aos contributos recebidos as principais diferenças são relativas a um melhor aproveitamento da área existente, sendo feitas instalações a um piso inferior, separando as instalações sanitárias e balneários de apoio do corpo principal do edifício do bar, mas mantendo o essencial das infraestruturas a disponibilizar e o sentido de potenciação do espaço durante todo ano.

Deste modo, ao nível do parque de estacionamento da Prainha e da rampa de acesso ao bar, pelo lado poente, serão edificadas instalações em piso inferior para arrecadação de apoio ao bar, instalações de gás, depósito de resíduos e zona de apoio aos nadadores salvadores, sendo que, ao nível do piso onde atualmente estão a maior parte das infraestruturas, serão criados dois blocos de edificado, um para bar e outro para as instalações sanitárias e balneários.

Com o projeto apresentado, o corpo principal do edificado passará a estar dotado de cozinha, bar e esplanada (preparada para estar aberta durante o verão e ser um espaço que é possível fechar durante o inverno), instalações sanitárias para funcionários, espaço para acondicionamento de produtos de frio e outras condições necessárias ao funcionamento da infraestrutura.

O segundo bloco a edificar será dotado de instalações sanitárias para banhistas e utilizadores da zona balnear, com balneários de apoio dotados com duches, assim como existirão também duches ao ar livre, se bem que em espaço coberto, sendo todos estes espaços dotados de condições para cidadãos portadores de mobilidade reduzida.

Os dois corpos principais a edificar (bar e instalações sanitárias e balneários) ficarão separados por um terraço (placa das construções a edificar em piso inferior) que poderá ser utilizado como esplanada ou espaço para a realização de pequenos espetáculos ao ar livre.

“Havendo o maior consenso por parte dos utilizadores da zona balnear e dos demais munícipes, a obra será lançada a concurso o mais rapidamente possível para que, no final desta época balnear, comece a empreitada, decorrendo a mesma até ao próximo ano e estando concluída a tempo do início da próxima época balnear”, disse Tibério Dinis.

Apesar das alterações efetuadas ao projeto, o Presidente do Município garante que não existem alterações ao nível do inicialmente orçamentado, isto é, o projeto de valorização do bar, balneários e instalações sanitárias de apoio ao areal da Prainha passa pela demolição das infraestruturas atualmente existentes, construindo-se novas valências, concebidas pelos técnicos do Município, integradas no âmbito da estratégia de valorização da frente marítima, onde estão em curso os procedimentos de reabilitação do Paul do Belo Jardim e o projeto de prolongamento pedonal e ciclovia da Avenida Marginal, ronda os 300 mil euros.

AA/CMPV