Câmara Municipal transfere 1,9 milhões de euros para as 24 Juntas de Freguesia do concelho

Em 2022, a Câmara Municipal de Ponta Delgada vai transferir para as 24 Juntas de Freguesia do concelho um montante de 1,9 milhões de euros ao abrigo dos contratos interadministrativos de delegação de competências.

Uma verba que é justificada pela autarquia presidida por Pedro Nascimento Cabral com a cada vez maior necessidade da aproximação das decisões aos cidadãos, da promoção da coesão territorial, da melhoria da qualidade de serviços prestados às populações e da racionalização dos recursos disponíveis.

O Presidente da Câmara Municipal considera as Juntas de Freguesia como parceiras estratégicas da autarquia na resposta de proximidade aos problemas que enfrentam as populações.

A Câmara Municipal “está sempre solidária com todas as Juntas de Freguesia do concelho” e o sinal claro dessa boa relação institucional será o rápido processamento dos contratos a assinar.

“Cada vez mais, o poder local tem de ter um olhar atento a cada um dos seus núcleos, com o propósito de aproximar em vez de afastar, de estimular o diálogo em vez da indiferença e de resolver em vez de dificultar” – afirma o edil.

Para Pedro Nascimento Cabral, “as nossas freguesias são pontos de contacto fundamentais na resolução dos processos que motivam os anseios dos cidadãos e todas elas devem ser tratadas de acordo com um princípio de justiça e de desenvolvimento harmonioso, que possibilite que cada cidadão, independentemente da freguesia onde reside, possa ter acesso às mesmas condições sociais, económicas e culturais dos demais residentes no concelho”.

O autarca reforça a ideia do desenvolvimento harmonioso de todas as freguesias, afirmando que a Câmara Municipal vai criar condições para “manter uma política local de desenvolvimento que agregue as populações às suas zonas de residência”.

Assim, a Câmara Municipal vai transferir as seguintes verbas: Arrifes (134.047,20 euros); Capelas (114.294,00 euros); São Pedro (112.037,15 euros); Fajã de Cima (105.099,60 euros); Feteiras (102.378,00 euros); São Roque (90.017,04 euros); Relva (84.841,20 euros); São Sebastião (84.208,31 euros); São José (81.202,22 euros); Sete Cidades (80.844,00 euros); Santo António (77.377,20 euros); Fajã de Baixo (77.173,46 euros); Livramento (74.094,71 euros); São Vicente Ferreira (72.160,80 euros); Fenais da Luz (70.168,80 euros); Ginetes (67.951,20 euros); Santa Clara (67.813,28 euros); Covoada (61.689,60 euros); Mosteiros (60.054,00 euros); Candelária (59.355,60 euros); Santa Bárbara (53.804,40 euros); Remédios (51.188,40 euros); Ajuda da Bretanha (39.279,60 euros); Pilar da Bretanha (36.502,80 euros).

AA/CMPD