Câmara promove concerto online com Sinfonietta de Ponta Delgada

A Câmara Municipal de Ponta Delgada promove dia 13 de dezembro, às 17h00, um concerto online com a Sinfonietta de Ponta Delgada.

O concerto, que pode ser visto nas redes sociais e no portal da Câmara Municipal de Ponta Delgada, tem produção da Quadrivium – Associação Artística e conta com o regresso do maestro Marco Ferreira e com a estreia da cravista italiana Cristiana Spadaro, intérprete ímpar no panorama musical açoriano.

O programa é inteiramente dedicado a compositores portugueses do século XVIII, nomeadamente Carlos Seixas e João Domingos Bomtempo.

O primeiro foi um dos mais aclamados cravistas e compositores do século XVIII. Nascido em Coimbra, foi para Lisboa aos 16 anos para integrar a corte de D. João V, onde seria nomeado cravista e organista.

Compôs cerca de 700 obras durante os seus 38 anos de vida, mas a esmagadora maioria perdeu-se no terramoto de 1755, em Lisboa.

Além das sonatas, compõe também para orquestra, para coro e para diversos instrumentos solistas. Deste espólio que hoje nos chega, encontramos o Concerto para Cravo e Orquestra em Lá maior.

Composto em Estilo Galante, revela uma sonoridade leve e bem-disposta, característica típica da música escrita naquela época para as cortes. Além disso, é uma obra que faz sobressair o lado mais virtuosístico do cravo, representando um verdadeiro desafio para o intérprete.

“Liberdade, igualdade, fraternidade” – é este o ar que se respirava em Paris e é onde Bomtempo inicia uma carreira de sucesso, enquanto pianista.

A sua simpatia pela causa liberal e o seu muito provável envolvimento com a maçonaria terão certamente influenciado esta escolha, numa das mais proeminentes figuras da história da música em Portugal.

A análise da sua obra dá conta da sua proficiência pianística e testemunha uma vasta cultura musical, não apenas no que diz respeito à tradição italiana, mas também perfeitamente integrado nos principais circuitos culturais europeus que tinham a Primeira Escola de Viena como o seu ex-libris.

A Sinfonietta de Ponta Delgada estreia-se a tocar Bomtempo com uma das suas obras primas, nomeadamente a Sinfonia nº1, largamente aplaudida no Journal Général de la France e no Courrier de l’Europe. Está escrita na luminosa tonalidade de Mi bemol maior e é um marco na história da música portuguesa por ser a primeira obra deste género escrita por um compositor português.

Bomtempo começa por expressar na sua música a dedicação ao classicismo, mas sente-se que persegue mais os ideais do Romantismo musical. Arrisca sobretudo na forma, incorporando melodismos próximos da vocalidade, e busca uma originalidade que, por vezes, se ofusca na quantidade dos temas que introduz.

AA/CMPD