Câmara tenta cativar instituições bancárias para o concelho

A Câmara Municipal de São Roque do Pico tem desenvolvido desde o início do mês vários contactos junto de instituições de crédito, tentando cativá-las a abrir agência no concelho.

Em declarações à comunicação social, o presidente da autarquia revelou que nas últimas semanas foram efetuadas diligências com mais do que uma instituição de crédito, mas por enquanto não há uma decisão tomada: “Temos desenvolvido contactos com vários bancos para perceber se pretendem alargar a sua rede implantando-se em São Roque do Pico. Foram feitos contactos com bancos que nunca trabalharam no concelho e com outros que já tiveram porta aberta. Para tentar assegurar a vinda de novos balcões a Câmara apresenta como mais valia o seu volume de negócios anual, na ordem dos cinco milhões de euros. A nossa proposta está a ser avaliada pelos conselhos de administração das entidades bancárias, mas ainda não temos respostas, embora exista uma demonstração de interesse muito forte por parte de uma entidade em regressar a São Roque do Pico”.

Estes contactos surgem depois do Santander ter comunicado à Câmara Municipal que irá encerrar na próxima sexta-feira, 27 de novembro, a sua agência no concelho, à semelhança do que irá acontecer em São Miguel, com o fecho de dois balcões, e uma na ilha das Flores, numa decisão do banco espanhol de ajustar a rede de balcões em todo o país e que desde o final de 2015 levou ao encerramento de mais de um quarto da sua rede de balcões a nível nacional e à saída de cinco mil trabalhadores.

O Presidente da Câmara Municipal de São Roque do Pico lamenta a decisão “unilateral” do banco em virar as costas à população que ao longo de anos deu muito dinheiro a ganhar à instituição: “A intenção de encerrar é uma decisão que recebemos com desagrado e surpresa. Essa posição foi transmitida à Câmara pelos diretores regionais do Santander durante uma reunião realizada no início do mês. Na altura apresentei uma série de argumentos com o objetivo de tentar demover a concretização do encerramento, mas a instituição de crédito não foi sensível às nossas pretensões e manteve-se irredutível. Um banco que não quer estar próximo dos nossos Munícipes não serve o concelho e, portanto, a Câmara Municipal de São Roque do Pico deixará de trabalhar com o Santander. Lamentamos que as instituições de crédito, que ganharam muito dinheiro à custa destes Munícipes, voltem as costas a esses clientes pensando apenas num critério comercial e administrativo”.

AA/CMSRP