Campanha “Vamos Pedalar Ponta Delgada”

A Câmara Municipal acaba de lançar a campanha experimental “Vamos Pedalar Ponta Delgada”. Uma iniciativa que resulta da parceria entre a autarquia e a Atlantic Bikes, apresentadapelo Vereador Paulo Mendes.

“Esta é uma campanha que terá uma duração inicial de três meses e que tem como objetivo potenciar a utilização de soluções de mobilidade mais sustentáveis e amigas do ambiente, contribuindo, por esta via, para melhorar a qualidade de vida e a saúde dos cidadãos”, afirmou o Vereador responsável pela área do Empreendedorismo e Inovação.

Na ocasião, Paulo Mendes realçou que a campanha pretende ainda “incentivar e apoiar a mobilidade ativa através de um sistema de bicicletas partilhadas, ampliando, assim, as condições para a permanência dos cidadãos no Centro Histórico de Ponta Delgada, ao mesmo tempo que promove a sua relação com o comércio tradicional”.

“Cada subscritor irá receber um livro de um autor açoriano e 1 euro do valor pago por cada subscrição será doado pela Atlantic Bikes à Associação Ecológica – Amigos dos Açores”, acrescentou o autarca.

Na apresentação, que decorreu na Avenida João Bosco Mota Amaral, ao lado do Clube Naval de Ponta Delgada, participaram ainda Diogo Caetano, dos “Associação Ecológica – Amigos dos Açores”, e Roberto Medeiros, da Atlantic Bikes, que explicou que para aderir à campanha basta “descarregar a aplicação da empresa (disponível nos sistemas iOS e Android), fazer o registo e o login, associar um documento comprovativo de residência em Ponta Delgada e, por fim, começar a pedalar”.

“Vamos Pedalar Ponta Delgada” destina-se aos residentes no Concelho de Ponta Delgada e os interessados deverão subscrever um plano válido para 30 dias e com possibilidade de renovação. Este plano tem um custo simbólico de 5 euros mensais e permite que cada utilizador disponha de 60 minutos por viagem, renovável por igual período.

“Face à existência de um privado que presta este serviço de partilha de bicicletas, entendemos que esta solução pode ser um excelente ponto de partida, não só para estimular, como já referi, hábitos de mobilidade mais saudáveis e amigas do ambiente junto dos nossos munícipes, como também para reforçar e valorizar a complementaridade entre o setor público e o setor privado na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos”, rematou Paulo Mendes.

AA/CMPD