Casa Museu mantém proximidade com o público

Em 2022 o plano de atividades da Casa Museu Cunha da Silveira, na ilha de São Jorge, pretende continuar a fidelizar e captar novos públicos por forma a desempenhar um papel ativo e dinâmico na sociedade, sendo de registar o crescimento do atendimento e serviço prestado ao público. Para além disso, pretende também contribuir significativamente para a inclusão social e o acesso à cultura.

Uma nota de imprensa enviada às redações destaca algumas das atividades a desenvolver ao logo do ano, como são o caso de “A Peça do Mês” e “Domingo, no Museu!”, assim como um workshop de costura e a exposição temporária – costura no imaginário jorgense.

A Casa Museu Cunha da Silveira mantém igualmente as atividades dirigidas ao público-escolar, assim como ao público-turista.

Neste sentido realce para o novo Espaço Museológico “Casa Visitável à Época dos Anos 50-60”, atualmente em fase final de construção, que irá integrar a Rota Turística do Concelho, “Vivências da Nossa Terra”, projeto turístico-cultural de carater plurianual e interdisciplinar que se propõe à descoberta do Património Cultural, Natural e Arquitetónico, abraçando as seis freguesias do concelho.

De salientar ainda a realização de atividades e exposições temáticas em outros espaços do Município de Velas, nomeadamente no Auditório, na Biblioteca e no Arquivo Histórico de Velas – João Gabriel de Ávila, sito no Edifício dos Paços do Concelho.

Em suma, a “Casa Museu Cunha da Silveira” mantém a missão de proteção e valorização do património cultural, com o intuito de preservar e perpetuar a memória e identidade de um povo com mais de 500 anos de história, junto das gerações futuras, contribuindo assim para o desenvolvimento do concelho, da ilha e até da região, a nível cultural, social e económico de forma sustentada, sendo que o seu plano anual de atividades insere-se nas diretrizes culturais estabelecidas pelo atual executivo camarário.

AA/CMV