Combater a pobreza e a exclusão social é “desafio e inquietação que nos obriga a trabalhar em conjunto”

O Vereador da Cultura e Desenvolvimento Social da Câmara Municipal de Ponta Delgada considerou que “ter pessoas excluídas enfraquece-nos a todos nós e pode colocar em causa os próprios alicerces do nosso sistema democrático”, acrescentando tratar-se de um “desafio e inquietação que nos obriga a trabalhar em conjunto”.

Paulo Mendes, que falava na cerimónia de transmissão de tarefas do Rotary Club de Ponta Delgada, enalteceu o papel deste clube rotário “que enriquece e valoriza o concelho de Ponta Delgada através da sua ação diária”.

O autarca estendeu o reconhecimento do Município de Ponta Delgada a todas as pessoas que investem parte do seu tempo e energia em prol dos outros. “Se hoje temos uma sociedade com menos pobreza, com menos exclusão social deve-se, em larga medida, ao trabalho de centenas e centenas de voluntários e das suas instituições que, muitas vezes, num contexto de total anonimato e de entrega pessoal tornam o nosso Concelho num lugar bem melhor”, reconheceu. 

Não obstante o realizado, o Vereador apontou uma série de problemas sociais que devem merecer “uma inquietação permanente de todos” e que em matéria de pobreza e exclusão social “não há fatalidades e respostas de soluções instantâneas, mas sim opções políticas”.

Paulo Mendes renovou a disponibilidade do Município para manter a boa cooperação institucional com o Rotary Club de Ponta Delgada, “na certeza de que do encontro de vontades, de meios e da partilha de responsabilidades vamos continuar a criar condições para desenvolver projetos para benefício da população do concelho”.

Destacou o EMERGIR, projeto cooperativo entre a Câmara Municipal, a Junta de Freguesia dos Fenais da Luz e o Rotary Club de Ponta Delgada, que está a ser desenvolvido na costa norte do concelho, e que visa a intervenção e promoção de outros projetos de desenvolvimento e intervenção social dirigidos a públicos desfavorecidos de diferentes faixas etárias, através dos quais é estimulada a conquista e a gestão da sua autonomia, a sua integração na sociedade e cumulativamente no mercado de trabalho. 

“A cooperação institucional entre a Câmara Municipal de Ponta Delgada e as organizações e os movimentos cívicos, que atuam a favor da promoção de valores humanistas e da inclusão, é essencial para a consolidação da cultura de cidadania que promove a capacitação dos cidadãos, que valoriza a sua individualidade e a sua independência”, frisou, afirmando que “a nossa ambição diária é fazer de Ponta Delgada um concelho privilegiado no que respeita ao exercício da cidadania, na valorização e a dinamização cultural; ou promoção da saúde e do bem-estar da população”.

Paulo Mendes agradeceu a todos os membros do Rotary Club de Ponta Delgada, pelos serviços prestados à comunidade e pelo contributo para a transformação de muitas vidas, desejando ao novo Presidente, Pedro Gonçalves de Melo, muito sucesso para o exercício de tão nobre e desafiadora missão, e homenageando a Presidente cessante, Alda Sousa, pela sua sensibilidade social e dinamismo que colocou ao serviço da direção do Rotary Club de Ponta Delgada.

AA/CMPD