Contribuição do IROA para a agricultura Açoriana tem sido fundamental ao longo dos anos

O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural enalteceu a atividade desenvolvida pelo IROA – Instituto Regional de Ordenamento Agrário SA, ao longo dos últimos 35 anos, frisando que sem a dedicação de todos os “Açorianos ligados àquele instituto” a agricultura não estaria como está hoje.

António Ventura falava na cerimónia comemorativa do 35º aniversário da IROA, SA que teve lugar esta manhã, no Pavilhão da Associação Agrícola de São Miguel.

“Para além de todos os investimentos que já fez e que continua a fazer, o IROA deve evoluir para uma nova fase, em que possa alcançar intervenções fora dos seus perímetros de ordenamento agrário”, adiantou o Secretário Regional, frisando ser preciso investimento “nos nove territórios da Região Autónoma dos Açores”.

Nesse sentido, António Ventura defendeu que a legislação do IROA deve ser revista “por forma a incluir aquilo que este Governo considera que deve ser a nova ordem, também nos Açores, que irá permitir uma maior e melhor visão dos nossos recursos, que é a sustentabilidade”, defendendo a ideia de que os recursos, como a água e o solo, são limitados.

“É preciso revistar a legislação percebendo que os desperdícios não são lixo, mas tem de voltar a ser novamente matéria-prima, aquilo a que se chama economia circular”, acrescentou.

O responsável pela pasta da agricultura defendeu ainda que o IROA deve, para além da intervenção, fazer também perspetiva e articulação de estudos com as várias entidades existentes, designadamente, a Universidade dos Açores e outros departamentos do Governo.

Na ocasião, António Ventura enalteceu o trabalho do atual e de todos os presidentes do IROA ao longo dos anos, que contribuíram para a atividade daquele instituto e para aquela que considerou uma “causa de base da economia regional”.

AA/GRA