Crise sísmica em São Jorge mantém padrão dos últimos

O Presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) afirmou que se mantém o padrão dos últimos dias acerca da redução dos números e da magnitude, no contexto da crise sismovulcânica na Ilha de São Jorge, em comparação com os valores dos primeiros tempos, mantendo-se acima do normal.

“Apesar disso, aconselhamos mais uma vez a população a manter a guarda e a autovigilância, ou seja, as pessoas não devem interpretar isso como um alívio principalmente nas medidas de autoproteção”, reiterou Eduardo Faria, acrescentando que o SRPCBA vai desempenhar as suas tarefas e a atividade diária “sempre com vigilância”, porque a qualquer momento se podem ter de tomar “ações e medidas que já estão previstas nos planos que foram desenhados”.

Quanto à atividade operacional, o Presidente do SRPCBA, que falava após o ‘briefing’ diário em que participam várias entidades envolvidas na crise sismovulcânica em São Jorge, revelou que as Forças Armadas deram ontem continuidade às operações de reconhecimento de “alguns locais” que se estimam que poderão ser utilizados pelas populações em caso de ativação de um plano de evacuação”

“Chegou hoje a São Jorge um avião da Força Aérea para rotação dos nossos operacionais. Portanto, não se trata de nenhum reforço, mas sim de uma rotação que já estava prevista e que tem como objetivo não provocar desgaste nos nossos operacionais que se encontram prontos para entrar em ação quando for necessário”, salientou.

Questionado pelos jornalistas sobre eventuais novas medidas no seguimento do aviso meteorológico que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê agravamento do estado do tempo para este fim de semana, Eduardo Faria explica que “para já não se justifica”.

“Aconselhamos a população a não frequentar locais de risco, tais como vertentes, orla costeira, zonas desabrigadas e ventosas, tendo em conta as previsões de forte intensidade do vento”, destacou o Presidente do SRPCBA.

Segundo os mais recentes dados disponibilizados pelo Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), ao longo do dia de ontem, 7 de abril, foram contabilizados cerca de 156 eventos (seis sentidos pela população). Entre as 00:00 e as 10:00 de hoje foram contabilizados 114 eventos (um sentido pela população).

Desde o dia 19 de março, até ao momento foram registados 28029 sismos, dos quais 237 sentidos pela população. Pelo exposto, o CIVISA encontra-se em alerta V4.

Toda a informação relativa à crise sismovulcânica pode ser acompanhada e consultada em http://www.ivar.azores.gov.pt/sjorge/Paginas/default.aspx.

AA/SRPCBA