Crise sismovulcânica em São Jorge mantém-se com registos muitos elevados

Foram registados cerca de 26.348 sismos desde o dia 19 de março, 225 dos quais sentidos pela população. O sismo mais energético ocorreu no dia 29 de março, às 21:56, com magnitude 3,8 (Richter). A análise preliminar dos registos sísmicos permitiu contabilizar durante o dia de ontem cerca de 603 eventos. As profundidades continuam entre os 7 e os 13 quilómetros.

Comparando com os últimos dias, tem-se verificado uma ligeira diminuição no número de sismos registados, mas o sistema continua com um número de sismos muito superior àquilo que tem sido registado nos últimos 30 anos.

São efetuadas diariamente medições de desgaseificação difusa de dióxido de carbono e temperatura do solo ao longo de um perfil com 28 pontos que atravessa a zona do Complexo Vulcânico das Manadas. A monitorização permitiu verificar que não há alteração do fluxo e concentração de dióxido de carbono no solo.

O CIVISA está a trabalhar numa imagem de interferometria de radar captada via satélite, esperando ter novidades sobre o assunto na próxima segunda-feira. A recente imagem tem de ser processada e avaliada.

O CIVISA alerta para a possibilidade de ocorrência de sismos que podem atingir magnitudes mais elevadas do que as registadas até ao momento, assim como para o perigo de ocorrência de derrocadas potenciadas pela atividade sísmica. Existe a possibilidade de se poder vir a registar uma erupção vulcânica, mas não há evidências de que tal esteja iminente.

O CIVISA encontra-se em ALERTA V4 desde as 15h30 do dia 23 de março.

AA/CIVISA