Curiosidade sobre as algas arrojadas na Praia de Porto Pim no Faial

Apesar da sabedoria popular atribuir o nome de “sargaço” a toda a santa alga que arroja nas nossas praias, a culpa não deve cair sobre as espécies pertencentes ao género Sargassum, que nos Açores ocorrem apenas em poças e em pequenas quantidades, coitadinho do Sargassum . Na realidade, o que temos visto nos últimos dias é um arrojamento massivo constituído principalmente por 2 espécies: Dictyota sp. e Taonia atomaria, que nesta altura do ano se libertam dos fundos e as correntes levam até às nossas praias, segundo refere a Seaexpert – Consultoria na área das Pescas.

Segundo estes, é importante realçar que o tipo de algas e a quantidade que vemos de cada uma delas varia de época para época e de ano para ano, mas recentemente houve um aumento significativo de espécies outrora pouco abundantes nas nossas ilhas, como é o caso da Padina pavonica e da Dictyota sp., que atualmente estão amplamente distribuídas pelos nossos fundos e a competir com outras espécies.

Tanto a Dictyota como a Taonia são géneros de algas pouco estudados quanto à sua aplicação em indústrias ligadas à biotecnologia e cosmética. No entanto, se esta existir com um bom potencial… a seaExpert vai descobrir, adiantam numa publicação.

AA/Seaexpert