Desafios da Parentalidade em Vila Franca do Campo

Na segunda quinzena do mês de maio, a Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, mais concretamente, o projeto de Promoção da Literacia em Saúde Mental do concelho, desenvolve atividades sobre o Dia Internacional da Família, debruçando-se, mais concretamente sobre “Os Desafios da Parentalidade”, retratado à luz do “Autocuidado”.

Ser, Mãe, Pai ou Cuidador, por um lado, dá um sentido de propósito e significado à nossa vida, traz-nos satisfação, gratificação e sentimentos de realização e bem-estar. Por outro, as responsabilidades e exigências de educar crianças/jovens saudáveis e com bem-estar também podem desafiar os nossos limites, gerar stresse e sentimentos de sobrecarga. Assim, ser mãe, pai ou cuidador é, ao mesmo tempo, a melhor, mas também a mais difícil e exigente tarefa do mundo.

Neste sentido, as atividades desenvolvidas pelo município no presente mês, têm um enfoque sensibilizador e educativo para todas as mães, pais e/ou cuidadores, tendo sempre como pilar fundamental a importância de investirmos no Autocuidado.

Devemos ter sempre presente que, é-se mãe, pai ou cuidador ao longo de toda vida da criança, adolescente, jovem e adulto, que é e será sempre filho ou filha. Logo, a parentalidade vai-se desenvolvendo e transformando-se conforme as necessidades, caraterísticas e desejos dos filhos/as e das mães/pais, mas devemos ter sempre em atenção que estes desejos podem ter sempre um impacto significativo, podendo ser positivo ou negativo, no desenvolvimento destes.

Ser mãe, pai ou cuidador não está apenas associado a prazer e recompensas, também há grandes desafios inerentes. Os desafios da parentalidade são complexos, diversos e interferem em todas as esferas da nossa vida, seja ela individual, conjugal, familiar, profissional e social. Envolvem não apenas amar, cuidar, aceitar, encorajar e orientar, mas também garantir as suas necessidades, assegurar o seu desenvolvimento saudável, bem-estar e qualidade de vida, ajudando-os a desenvolver competências, recursos e relações significativas, para que eles possam desenvolver-se física, cognitiva, emocional e socialmente de forma positiva.

Ser mãe ou ser pai, por muito competentes que sejamos, também é lidar com frustrações, medos, falhas e desafios. Os desafios e dificuldades de se ser mãe e pai, na atualidade, precisam de ser compreendidos no âmbito das complexidades, ambiguidades e dinâmicas do nosso contexto social e cultural, das caraterísticas e circunstâncias individuais do pai e da mãe, bem como da criança/jovem. Os desafios da parentalidade vão-se alterando ao longo do ciclo de vida, em função da idade dos filhos, das nossas circunstâncias e do nosso próprio desenvolvimento enquanto indivíduos.

Um dos principais desafios da parentalidade prende-se pela enorme pressão social para a utopia da parentalidade perfeita. Esta pressão é muitas vezes geradora de stresse e ansiedade para mães, pais, cuidadores, fazendo-os sentir incompetentes, ansiosos, zangados ou completamente esgotados.

Estas tensões são normais, inevitáveis e fazem parte da tarefa de ser mãe, pai ou cuidador. Assim, é importante aprendermos a lidar saudavelmente com os desafios da parentalidade, e investir no Autocuidado é fundamental para encarar e ultrapassar estes mesmos desafios diários.

No entanto, por vezes, os desafios e pressões da Parentalidade podem ser extenuantes, emocionalmente esmagadores e mesmo até gerar problemas de saúde psicológica. Logo, reconhecer estes possíveis sinais de alerta e procurar ajuda espacializada é fundamental. Um Psicólogo pode ajudar a recuperar emocionalmente, para que possamos viver uma vida mais plena, produtiva e feliz para ser melhores Pais, Mães e Cuidadores.

AA/CMVFC