Detenção de mulher pela autoria de vários crimes, na Lagoa

A Divisão Policial de Ponta Delgada, através da Brigada de Investigação Criminal – BIC, da Esquadra de Lagoa, informa que, procedeu à detenção fora de flagrante delito, de um individuo, do sexo feminino, de 18 anos, sem apoio familiar e sem domicílio, com problemas de consumo de estupefacientes, encontrando-se fortemente indiciada pelo presumível concurso da prática material e de forma consumada de 02 crimes de roubo, 07 Crimes de furto qualificado, 09 crimes de furto simples, e ainda, de um crime de furto qualificado, na forma tentada.

A investigação em curso praticada pela BIC de Lagoa e dirigida pelo Ministério Público do DIAP de Ponta Delgada, decorreu durante diversas semanas, tendo procedido à recolha de diversos e fortes elementos de prova que sustentaram a emissão de um mandado de detenção fora de flagrante delito, pela Autoridade Judiciária.

A analogia dos crimes em investigação indicia fortemente que, a suspeita, premeditava a prática destes crimes, atuando sozinha, de forma muito astuta e ludibriante, com especial incidência nas freguesias de Santa Cruz e Nossa Senhora do Rosário, ambas do concelho de Lagoa, tendo-se verificado que vitimizava pessoas idosas ou portadores de deficiência física, maioritariamente do sexo masculino.

No momento, verificava-se um sentimento de grande insegurança nas ruas das freguesias do concelho de Lagoa, pois foram denunciados diversos crimes contra a propriedade, com especial incidência em crimes ocorridos em viaturas a motor estacionadas na via pública e no interior de residências de pessoas idosas, através dos métodos de arrombamento e escalamento, verificando-se fortes indícios que a mulher detida foi surpreendida algumas vezes pelos ofendidos no interior das suas habitações, colocando-se seguidamente em fuga na posse de dinheiro que lhes subtraia, sendo que, em pelo menos duas vezes, a arguida terá utilizado violência contra os ofendidos para consumar os crimes e não ser detida.

Relativamente aos 09 crimes de furto simples, constatou-se que algumas das vítimas foram importunadas na via pública, com abordagens de carácter sexual, que após forte insistência e coação junto destas, seguimento das vítimas ou atraindo-as a locais isolados, e, inclusive, introduzindo-se sem consentimento, no interior de veículos conduzidos pelas vítimas, a suspeita que, de forma astuta, eludia as vítimas e subtraía-lhes a carteira com dinheiro e até os telemóveis pessoais.

Após ter sido presente à autoridade judiciária competente, o arguido ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva.

O Comando Regional da PSP dos Açores recomenda a todos os cidadãos ou vítimas que, sempre que tenham conhecimento de situações suspeitas ou relacionadas com a prática de ilícitos, contatem, no mais curto espaço de tempo e por qualquer via, qualquer Esquadra da PSP a fim de acionar a intervenção policial em tempo útil e em prol de um melhor serviço à comunidade.

AA/PSP