Escola do Corvo vai ter terapeuta da fala, novo refeitório e salas inovadoras

A Secretária Regional da Educação avançou que serão realizadas obras na Escola do Corvo para contemplar a construção de um novo refeitório, serão adquiridos painéis interativos, criadas salas para implementar ambientes educativos inovadores e será ainda aberto concurso para a contratação de um terapeuta da fala.

O anúncio foi feito na Escola Mouzinho Silveira, no Corvo, no âmbito das visitas às escolas da Região que a governante tem desenvolvido desde o início do seu mandato, “priorizando contactos de proximidade com toda a comunidade educativa”.

De acordo com a governante, “as obras vão dar lugar a um novo refeitório com capacidade para 60 pessoas e a uma sala para apoio de terapia da fala e de psicologia”.

A titular da pasta da Educação explicou que o procedimento para a obra “já está a decorrer, em articulação com a Secretaria das Obras Públicas e Comunicações”.

No âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, Sofia Ribeiro explicou que serão adquiridos painéis interativos para todas as salas de aula, “que permitirão a partilha de vários conteúdos, com uma qualidade de imagem e som muito superior à tradicional projeção”.

A Secretária da Educação confirmou ainda que o Governo Regional vai adquirir mobiliário modular, “indicado para a criação de Ambientes Educativos Inovadores que permitirão aos professores gerir, de forma rápida e simples, diferentes dinâmicas no espaço de sala de aula”.

Já tinha sido anunciado que este ano letivo arrancou com novos equipamentos, “mais do que duplicando a capacitação das escolas da Região” e, de acordo com a Secretária da Educação, “a escola do Corvo recebeu 23 computadores portáteis e receberá nos próximos dias 16 tablets”.

Durante a visita, Sofia Ribeiro avançou ainda a contratação de um técnico de terapia da fala, “para acompanhar várias situações já diagnosticadas pela escola e que carecem de orientação profissional, numa clara aposta de reforço das equipas multidisciplinares, em prol dos alunos”.

Recorde-se que a Secretária Regional da Educação se havia comprometido com a colocação em quadro de mais de 200 trabalhadores não docentes nas escolas da Região, até então em situação precária, abrangendo assistentes operacionais, assistentes técnicos, técnicos superiores e técnicos de informática.

AA/GRA