Escola do Mar dos Açores cria parceria com empresa UAVision na ilha do Faial

A Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, a Associação para o Desenvolvimento e Formação do Mar dos Açores (ADFMA) e a UAVision Engenharia de Sistemas, Lda. assinaram um protocolo de cooperação para a instalação de uma base desta empresa na Região, nomeadamente num dos edifícios da antiga Estação Radionaval da Horta, onde está sediada a Escola do Mar dos Açores.

O protocolo visa o estabelecimento de uma parceria entre as três entidades para a cooperação no domínio da formação em áreas profissionais que se enquadrem na estratégia de formação da Escola do Mar dos Açores (EMA), nomeadamente nos domínios da observação, monitorização e amostragem em espaço marítimo.

A UAVision é uma empresa portuguesa especializada na produção de sistemas não tripulados, com competências nas áreas das Engenharias Eletrotécnica, de Telecomunicações, Mecânica, Aeroespacial e das Tecnologias de Informação.

Pretende-se que a instalação da UAVision na ilha do Faial constitua uma mais valia para a Escola do Mar dos Açores, na medida em que vai permitir proporcionar aos formandos um contacto próximo com a indústria aeronáutica e de robótica.

A UAVision, que vai dispor de uma área de 202 m2 na antiga Estação Radionaval da Horta, será parceira da EMA na criação de oferta formativa nas suas áreas de especialidade, contribuindo na formação tecnológica aplicada à observação, monitorização e amostragem em espaço marítimo.

O protocolo de cooperação prevê também que a UAVision proporcione estágios e experiências profissionais aos formandos da EMA, bem como visitas de estudo às suas instalações.

A UAVision terá também de assegurar a organização de eventos de divulgação tecnológica aos formandos da EMA e a outros públicos, permitindo ainda que os formandos da EMA assistam ou participem em operações da sua responsabilidade com veículos não tripulados.

Esta empresa pretende instalar nos Açores, nomeadamente no Faial, um laboratório de investigação dedicado às atividades de teste, otimização e desenvolvimento das suas atuais plataformas aéreas não tripuladas em ambiente marítimo, tirando partido das várias valências existentes na ilha ligadas às Ciências do Mar.

A UAVision poderá ainda montar localmente uma estrutura com capacidade de desenvolvimento e produção, de forma a garantir o rápido e sustentado desenvolvimento de novos produtos, bem como o suporte para teste e validação dos existentes, empregando mão de obra local.

Este protocolo de cooperação é válido por três anos.

AA/Gacs/ foto@DR