Exposição “A rainha Santa Isabel e o culto ao Divino Espírito Santo” patente no Museu Vivo do Franciscanismo

Está patente no Museu Vivo do Franciscanismo, na cidade da Ribeira Grande, ilha de São Miguel, a exposição “A rainha Santa Isabel e o culto ao Divino Espírito Santo: o simbolismo da coroa”, mostra que apresenta as diversas manifestações de devoção e fé ao Divino Espírito Santo através da manufatura de coroas em diferentes materiais: prata, papel, madeira, linhas, tecidos e estanho, reflexo da criatividade da cultura popular.

O presidente da Câmara da Ribeira Grande, acompanhado pelo vereador Filipe Jorge, presidiu à cerimónia de inauguração da exposição que contou com o apoio gracioso das irmandades, particulares, artesãos, fotógrafos e paróquias.

“Com os contributos que recebemos foi possível reunir um conjunto de coroas demonstrativas do elevado valor religioso, sentimental e artístico das mesmas, assim como das festividades em honra do Divino Espírito Santo”, salientou Alexandre Gaudêncio.

O autarca acrescentou que “as festas do Divino Espírito Santo estabelecem uma ligação entre o sagrado e o profano e invocam a dimensão simbólica, patrimonial e tradicional deste culto, bem como a sua ligação à rainha Isabel de Aragão e à Ordem de São Francisco de Assis”.

AA/CMRG