Exposição sobre Ponta Delgada “orgulha-nos do caminho percorrido e inspira-nos pela coragem do sonho”

A Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada destaca o contributo da exposição “Ponta Delgada: Memórias Fotográficas (1860-1960)” para a evocação da nossa memória coletiva e para a celebração do progresso da cidade.

A mostra propõe um retrato da cidade que atravessa um século de vida, balizado por dois eventos marcantes para a História de Ponta Delgada: a construção do seu porto artificial, cuja primeira pedra foi lançada em setembro de 1861, e obra da Avenida Infante D. Henrique, cujos trabalhos iniciados em 1948 terminaram em 1952.

Para Maria José Lemos Duarte, as fotografias expostas são também “um apelo à nossa responsabilidade coletiva de continuar a pensar e a projetar a cidade para lá do tempo presente, impulsionados pelo sentido de oportunidade e transformador das intervenções geradoras de benefícios para quem vive, trabalha ou visita Ponta Delgada”.

“Ponta Delgada: Memórias Fotográficas (1860-1960)” marca o início das comemorações do 475º aniversário da cidade, que se assinala a 2 de abril, “numa celebração que será simbólica, devido à luta que travámos coletivamente contra a Covid-19, mas nem por isso reduzida no seu significado”, assegura a Presidente.

Organizada pela Câmara Municipal e Instituto Cultural de Ponta Delgada, a exposição, comissariada por Pedro Pascoal de Melo, é composta por 150 fotografias, algumas inéditas e outras menos conhecidas, de fotógrafos como Aires Jácome Correia, António José Raposo, José Pacheco Toste, Ernest Brown, Henrique Pereira da Costa e Gilberto Nóbrega, entre outros, pertencentes à coleção fotográfica digital do Instituto Cultural de Ponta Delgada.

A mostra, patente até dia 19 de março, está dividida em dois núcleos, um abrangendo os anos 1860 a 1910, no Solmar Avenida Center, e o outro referente aos anos 1910 a 1960, no Parque Atlântico, e pode ser visitada no horário de funcionamento dos mesmos, respeitando as medidas de proteção contra a Covid-19 como o uso obrigatório de máscara e o distanciamento mínimo de, pelo menos, dois metros entre pessoas.

AA/CMPD