Exposições, formações e concertos na programação de novembro do Arquipélago

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, através da Direção Regional da Cultura (DRC) apresenta, em novembro, no Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas (ACAC), uma programação diversificada com três exposições em simultâneo, além de residências artísticas, oficinas de desenho, música, ‘workshops’ e um ciclo de concertos.

Assim, nos quatro sábados do mês de novembro, o serviço de mediação apresenta o workshop “As várias dimensões do desenho”, que terão como ponto de partida as exposições patentes de Maria José Cavaco e de João Amado, a coleção exposta nas reservas do ACAC e as obras da exposição “(a)riscar o património”.

O workshop de desenho está estruturado em quatro sessões: “O que define um Desenho”, a 6 de novembro; “Como apreendo o que me rodeia?” no dia 13; “O desenho como série” no dia 20; e “O papel como resultado do desenho” para o dia 27.

Às sextas-feiras do corrente mês, pelas 21h30, a Blackbox do Arquipélago acolhe o “Ciclo de concertos Carta Branca à Marca Pistola”: assim, a 5 novembro, decorre a apresentação do disco “In Between”, com o concerto de P.S. Lucas Trio, que terá como convidado Luís Senra.

A 12 novembro, Ricardo Martins apresenta o disco “Incerteza Absoluta”; e no dia 26, decorre a apresentação do disco “Cisma” dos WE SEA; realizando-se ainda no último domingo de novembro, dia 28, pelas 15h00, uma oficina de música intuitiva e, pelas 19h00, um concerto, intitulado “Reflexos de Origem”, numa atuação conjunta dos artistas Luís Senra e Filipa Gomes.

No dia 15 de novembro, entre as 15h00 e as 17h00, o artista Gustava Ciríaco vai orientar a residência artística “Sem cerca nem muro”, que inclui uma oficina de desenho e dança, para crianças entre os 7 e os 10 anos de idade, além de outra destinada a professores e educadores de infância.

Ainda no mês de novembro, a Blackbox do ACAC recebe as residências artísticas da “Terra Incógnita”, um projeto musical que visa descobrir a ilha de São Miguel a andar e que inclui caminhadas performativas, residências de criação, conversas, visitas a escolas e instalações digitais, que serão dinamizadas ao longo dos próximos dois anos, com o objetivo de criar novas leituras sobre o território desta ilha.

Entre os dias 14 e 27 de novembro, a residência vai contar com a presença dos artistas Gianna de Toni, Paal Nilssen Love e Inês Malheiro; e entre 22 e 27 de novembro, com os artistas Golden Oriole e Vitória Morto.

AA/GRA