Faial quer continuar a ter ligações aéreas diretas a Lisboa

O Presidente da Câmara Municipal da Horta, Carlos Ferreira, e o Vice-Presidente, Carlos Morais, reuniram, nos Paços do Concelho, com o Presidente do Conselho de Administração da SATA, Luís Rodrigues, para analisarem, em conjunto, o serviço que a companhia aérea açoriana presta à ilha do Faial, com especial enfoque para as ligações diretas entre Lisboa e o Faial.

Tratando-se de um assunto de enorme sensibilidade e relevância para a população faialense, Carlos Ferreira transmitiu ao Presidente do Conselho de Administração da SATA que “não coloca em cima da mesa a hipótese do Faial deixar de ter ligações diretas para Lisboa”, atendendo a que a rota é “uma rota rentável e não deficitária”, pois teve, nos últimos anos, um crescimento exponencial, referindo, a título de exemplo, o ano de 2019 em que atingiu uma taxa de ocupação média anual de 80%.

“Esta rota é uma condição de mobilidade da nossa população e de cumprimento do princípio da continuidade territorial”, frisou o Presidente do Município, adiantando ao Presidente da SATA que “o Município da Horta não admite sequer a possibilidade de haver um retrocesso de mais de 35 anos”.

Carlos Ferreira foi mais longe e expressou a Luís Rodrigues que pretende que se valorize a rota Lisboa/Horta, mediante o aumento do número de voos e de lugares, por forma a “promover o destino, com tarifas mais equilibradas, que possam fazer os passageiros optar pela ligação direta de Lisboa à Horta e não efetuar escala em outras gateways da Região”.

Para o Presidente da Câmara Municipal da Horta “a oferta de 10 voos semanais do próximo Verão IATA não satisfaz as necessidades dos faialenses”, o que fez questão de transmitir ao Presidente da transportadora aérea açoriana, tendo reivindicado “14 voos semanais nos meses de julho e agosto”.

No entanto, para Carlos Ferreira, há a noção de que estamos ainda em contexto de pandemia e de retoma económica e social, e que aquele objetivo “deverá ser alcançado de forma progressiva”.

Da parte do Presidente do Conselho de Administração da SATA, Carlos Ferreira e Carlos Morais receberam o compromisso de que iria proceder a uma análise cuidada da situação, sempre procurando corresponder às necessidades da ilha do Faial e à missão da companhia aérea açoriana.

AA/CMH