Faleceu dramaturgo e poeta Norberto Ávila

Faleceu dia 11 de maio o dramaturgo Norberto Ávila, na sua moradia em Lisboa.

Dramaturgo, romancista, contista e poeta português, nascido em Angra do Heroísmo, Açores, a 9 de setembro de 1936.

De 1963 a 1965 frequentou, em Paris, a Universidade do Teatro das Nações. Criou e dirigiu a revista Teatro em Movimento (Lisboa, 1973-75). Chefiou, durante 4 anos, a Divisão de Teatro da Secretaria de Estado da Cultura; abandonou o cargo em 1978, a fim de dedicar-se mais intensamente ao seu trabalho de dramaturgo.

Traduziu obras de Jan Kott, Shakespeare, Tennessee Williams, Arthur Miller, Jacques Audiberti, Junji Kinoshita, Valle-Inclán, Fassbinder, Blanco-Amor, José Zorrilla e Liliane Wouters.

Dirigiu para a RTP (1º Canal), a partir de novembro de 1981, uma série de programas quinzenais dedicados à atividade teatral portuguesa, com o título de Fila 1.

As obras dramáticas de Norberto Ávila, maioritariamente reunidas na coletânea Algum Teatro (20 peças em 4 volumes, Imprensa Nacional-Casa da Moeda) têm sido representadas em diversos países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Coreia do Sul, Croácia, Eslovénia, Espanha, França, Holanda, Itália, Portugal, República Checa, Roménia, Sérvia e Suíça. Títulos mais divulgados, nacional ou internacionalmente: As Histórias de HakimO Marido AusenteA Ilha do Rei SonoO Rosto Levantado, Arlequim nas Ruínas de LisboaFlorânia ou A Perfeita FelicidadeD. João no Jardim das Delícias.

A atividade literária de Norberto Ávila abrange porém outros géneros, como o romance – No Mais Profundo das Águas, (sobre Antero de Quental e a Geração de 70), A Paixão Segundo João Mateus (Romance Quase de Cordel), em que se recria a oralidade popular da ilha Terceira, e Frente à Cortina de Enganos (inédito) – , estando em preparação (em 2014) o seu primeiro livro de contos. É ainda autor do livro de poemas Percurso de Poeta (Prémio Natália Correia, 1999, edição de autor, 2000).

AA