Formação Agrícola 2022 pretende “profissionalizar cada vez mais”

O Secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural realçou “o reforço de meios que será canalizado para a missão de profissionalizar cada vez mais a agricultura e os agricultores com cursos direcionados para a agricultura de naturalidade e para o incentivo à produção de agroalimentos”.

António Ventura falava na apresentação do balanço da formação agrícola de 2021 e projeção para o ano de 2022, que decorreu no Serviço de Desenvolvimento Agrário de São Miguel.

Em 2021, realizaram-se 70 ações de formação, num total de 2.481 horas ministradas que abrangeram, em toda a Região, 781 formandos, o que representou um investimento de 93.842,58 euros.

As áreas de formação abrangidas pretenderam dotar os ativos de conhecimentos na produção de frutícolas, hortícolas, leite e carne, bem como de boas práticas na aplicação de produtos fitofarmacêuticos e controlo integrado de roedores, entre outras temáticas de relevante interesse para o setor.

Acresce a esta dinâmica o trabalho paralelamente desenvolvido no âmbito do Fórum BioAzores, que percorreu as nove ilhas, com um total de 36 iniciativas dedicadas especificamente à temática da Agricultura Biológica e que chegou a mais de 1.000 participantes.

Já para 2022, António Ventura realçou o reforço para a profissionalização e incentivo à produção de agroalimentos, áreas “em que os Açores ainda recorrem fortemente à importação, quer na fruticultura quer na horticultura, encontrando para isso novas formas de produção”.

“Assim, estão previstas 107 ações de formação, destinadas a 1.608 formandos e que totalizam 2.481 horas a serem ministradas”, adiantou o governante, acrescentando que este “plano representa um investimento de mais de 172 mil euros, um aumento muito significativo que quase duplica o investimento face ao ano anterior”.

Por último, António Ventura referiu o importante papel que outras entidades, como associações e cooperativas desempenham neste propósito de elevar a agricultura Açoriana através da formação, quer como entidades formadoras nas suas áreas especificas de atuação, quer como entidades parceiras da Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural.

AA/GRA