Formação de três mil açorianos com baixas habilitações literárias

O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego, anunciou que se iniciou uma formação de largo espetro para os cerca de 3.000 açorianos que estão inscritos nas Agências de Emprego e não possuem o 9.º ano de escolaridade.

Segundo o Secretário Regional da Juventude, Emprego e Qualificação Profissional, atualmente já decorrem 16 cursos de formação em Aquisição Básica de Competências nas ilhas de São Miguel, Terceira, Faial e Pico, abrangendo cerca de 400 pessoas até setembro.

Duarte Freitas falava à margem de uma visita à Escola Profissional da Praia da Vitória, onde se fez acompanhar pelo Diretor Regional de Qualificação Profissional e Emprego.

Na ocasião, o responsável pela Tutela do Emprego salientou que as medidas de apoio à qualificação, às empresas e ao emprego estão “de acordo com as atuais dinâmicas do mercado e que já estão a dar sinais de maior retoma em termos de atividade empresarial”.

Este esforço do XIII Governo dos Açores, explicou o governante, tem o apoio das escolas profissionais, de forma a “fazer face aos baixos níveis de qualificação profissional e de escolaridade nos Açores, que constituem um sério obstáculo ao crescimento económico e social e são uma das razões dos elevadíssimos indicadores de risco de pobreza da Região”.

Os cursos de Aquisição Básica de Competências – desenvolvidos através da Rede Valorizar – foram criados com o objetivo de “assegurar a todos os Açorianos, maiores de 18 anos, uma oportunidade de qualificação e certificação de nível básico, secundário e profissional”, adiantou ainda.

Para o Secretário Regional, até ao final de 2022, o Executivo Açoriano tem por objetivo “concluir este esforço em todas as ilhas Açorianas, visando a promoção da qualificação para estes Açorianos mais desfavorecidos”.

AA/GRA