Governo dos Açores assina protocolo para desenvolver cibersegurança

O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional das Obras Públicas e Comunicações, vai assinar no sábado um protocolo de cooperação com a Competitive InteIligence and Information Warfare Association (CIIWA), para a realização de iniciativas que contribuam para o desenvolvimento de capacidades da Região na cibersegurança, na segurança das redes e dos dados e da informação.

O protocolo tem como objetivo garantir a proteção e defesa dos serviços vitais de informação e potenciar uma utilização livre, segura e eficiente do ciberespaço por parte de todos os cidadãos, das empresas e das entidades públicas e privadas, em alinhamento com a Estratégia Nacional de segurança e Ciberespaço.

A CIIWA é uma associação civil, sem fins lucrativos, e que trabalha em prol do desenvolvimento de uma comunidade internacional e de uma rede de conhecimento entre entidades, especialistas e consumidores interessados na temática da Competitive Intelligence e da Guerra de Informação, tendo desenvolvido diversos eventos nesta área e ações de formação.

O protocolo será assinado na sessão de entrega dos diplomas do Curso de Cibersegurança, Ciberdefesa e Exercícios de Gestão de Crises no Ciberespaço – Planeamento, Criação de Cenários e Condução de Exercícios, realizado pela CIIWA, em parceria com a Academia Militar e com o apoio do Governo dos Açores, amanhã, dia 2 de outubro, no Laboratório Regional de Engenharia Civil. 

A cerimónia será presidida pelo Diretor Regional das Comunicações, Pedro Batista, e contará com a presença do Chefe do Estado Maior da Zona Militar dos Açores, Tenente-Coronel Luis Sardinha, em representação do Comandante da Zona Militar dos Açores e do Presidente da CIIWA, Coronel – TM Paulo. 

O curso, teve uma duração de 25 horas, decorreu em horário pós-laboral e contou com um total de 20 formandos.

O XIII Governo Regional dos Açores foi o primeiro a colocar a cibersegurança, no seu Programa do Governo e prevê para 2022, um investimento de dois milhões de euros, nessa área, apoiado no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), o Azores Cyber 360º. 

Esta iniciativa traduz a importância que o Executivo Açoriano atribui e reconhece a essa matéria, nomeadamente, na promoção de uma cultura de segurança,  relativa à utilização dos meios informáticos, contribuindo para a sensibilização e aumento da ciber-maturidade das empresas e dos cidadãos; no desenvolvimento de uma estratégia de cibersegurança regional, assente em politicas adequadas, em articulação com um conjunto de entidades nacionais com competências em matéria de cibersegurança, para uma proteção eficaz contra as ameaças com origem no ciberespaço; promoção na formação de recursos, especialistas em matéria de cibersegurança, nos seus diferentes vetores.

AA/GRA