Governo dos Açores implementa programa de apoio à Equitação Terapêutica para alunos Açorianos de mobilidade reduzida

O Governo Regional dos Açores anunciou um programa de apoio, desenvolvido através das Secretarias Regionais da Educação e da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, para a prática de Equitação Terapêutica para alunos de mobilidade reduzida no arquipélago.

Segundo a Secretária Regional da Educação, e em conjunto com a Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, foi implementado um programa de auxílio à prática do desporto equestre, de forma a proporcionar “aos alunos, em especial crianças com necessidades educativas especiais, o devido apoio para o desenvolvimento dessas atividades”.

Sofia Ribeiro, que tutela a Educação, sublinhou a importância deste desporto e da prática do hipismo adaptado para os alunos com necessidades educativas especiais, constatando “as dificuldades que os alunos têm em aceder aos centros de equestre”

Para esse efeito, o Governo dos Açores pretende auxiliar os centros equestres com “programas específicos que permitam aos alunos aceder a um tipo de apoio diferenciado e especializado, que constituirá certamente uma mais-valia para os alunos dos Açores com necessidade especiais”, salientou a Secretária Regional.

O programa engloba um montante global de 100 mil euros, repartido pelas secretarias regionais da Educação e da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, e será aberto um período de candidatura, em que os centros equestres têm de apresentar um plano para o desenvolvimento da prática deste desporto, avançou ainda a governante.

Sofia Ribeiro defendeu também que este é um programa “muito bem orientado exclusivamente para esta atividade e para estes alunos, adiantando que não é um financiamento de escolas, nem de centros equestres”.

Por sua vez, o Secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento louvou a junção de “sinergias humanas, técnicas e financeiras” entre duas secretarias regionais, e, neste caso, através dos centros hípicos, elevando que só assim é possível uma “melhor atuação favorável à qualidade de vida dos Açorianos”.

Referindo-se a esta parceria, António Ventura concretizou que o Executivo Açoriano está a suportar uma “atividade essencial enquanto agente ativo da ruralidade da Região”.

AA/GRA