Governo dos Açores vai apostar em produção associada à ciência através do Laboratório de Inovação em Produtos Lácteos

O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural defendeu não ser possível “continuar a produzir nos Açores sem que a ciência esteja associada”, adiantando ser necessário fazer um “tripé” entre produção, transformação e ciência “por forma a identificar as linhas objetivas da investigação.

António Ventura falava nas instalações do Laboratório de Inovação em Produtos Lácteos, sedeado no TERINOV, na ilha Terceira, que visitou acompanhado pela Secretária Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, Susete Amaro, com o intuito de se inteirar do estado de implementação do respetivo Laboratório.

O governante disse ser preciso “criar uma agenda para a investigação, sentando a indústria, a produção e a investigação” para se encontrarem linhas orientadoras “na transformação e na diversificação láctea”, com base nos recursos existentes.

“Não podemos continuar a ter nos Açores 25% da nossa produção, que corresponde a 650 milhões de litros de leite, a transformarem-se em leite em pó, é um prejuízo”, frisou o Secretário Regional. 

António Ventura adiantou que nos próximos tempos, as Secretarias Regionais da Agricultura e Desenvolvimento Rural e da Cultura, da Ciência e Transição Digital vão “convidar a produção e as cooperativas de laticínios para se estabelecer um diálogo”, por forma a apresentar as capacidades do Laboratório de Inovação de Produtos Lácteos e a ouvir, por parte dos mesmos, as preocupações e necessidades.

Por sua vez, a Secretária Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital frisou que o investimento que está a ser realizado no Laboratório de Inovação de Produtos Lácteos pretende contribuir para que a fileira do leite “seja capaz de criar mais valor acrescentado para todos os agentes e intervenientes”.

Susete Amaro adiantou que o equipamento a ser instalado em breve no do Laboratório de Inovação em Produtos Lácteos representa um investimento de cerca de meio milhão de euros.

“Os desafios que enfrentamos não serão ultrapassados sem o contributo decisivo da Ciência, pois o mundo complexo em que vivemos exige respostas políticas, socias e económicas baseadas na evidência científica”, destacou a responsável pela pasta da Ciência.

A nova infraestrutura, que contará com equipamentos laboratoriais e industriais de ponta para desenvolver protótipos e demonstrações de produtos lácteos inovadores, é considerada como uma peça chave para que o setor do leite se afirme, não pela quantidade produzida, mas sobretudo pela qualidade e inovação dos seus produtos, capazes de competir a nível nacional e internacional.

A iniciativa conjunta que juntou as tutelas da Agricultura e da Ciência pretendeu, ainda, sinalizar o trabalho articulado e complementar que o XIII Governo Regional dos Açores tem vindo a promover, conforme previsto no Programa de Governo, que se entende essencial para criar plataformas comuns de entendimento e de exploração de resultados em benefício da sociedade açoriana.

AA/GRA