GPPS apela ao Governo Regional para que reponha realização de testes ao 6º dia

O GPPS tem acompanhado e fiscalizado a atividade governativa do XIII Governo Regional, onde se insere o combate à Pandemia provocada pelo vírus SARS-CoV-2 e, consequentemente, pela COVID-19.

Deste modo, no âmbito do acompanhamento realizado ao longo dos últimos meses, o GPPS tem responsavelmente questionado, sugerido, proposto medidas e intervenções para minimizar o impacto da Pandemia na Saúde Pública bem como a nível socioeconómico, revela uma nota enviada às redações.

Segundo o PS, foi neste sentido que em dezembro, depois de aprovada a primeira vacina contra a COVID-19 pela Agência Europeia do Medicamento, questionou e apelou para uma devida e necessária preparação de um Plano Regional de Vacinação, chamou a atenção a perigosidade do aumento da taxa de positividade e diminuição do número de testes de despiste diariamente realizados a par da franca expansão da variante na altura denominada do Reino Unido e a necessidade de definição de uma estratégia para a prevenção da sua disseminação, bem como quais as medidas a adotar para a época natalícia e de fim de ano pela previsível adoção de comportamentos promotores da propagação e disseminação do vírus SARS-CoV-2.

Não obstante, com vista a minimizar ruídos e a promover consensos político- partidários no que concerne às medidas de combate à Pandemia bem como aos impactos pela mesma provocados ao nível socioeconómico, propôs a criação de uma Comissão Eventual de Acompanhamento que reunisse todas as forças parlamentares da Assembleia Legislativa Regional, alicerçando a pertinência da sua criação pelo expectável largo período temporal que ainda perduraria de coexistência com a COVID-19.

A mesma nota adianta ainda que já em julho passado, perante a previsível disseminação e propagação da variante Delta do vírus SARS-CoV-2, o GPPS manifestou a sua e a de todos aqueles em que nele depositaram a sua confiança no que concerne ao impacto regional da referida variante apelando ao Governo Regional dos Açores para que incidisse a sua intervenção em três aspetos fundamentais, nomeadamente  o reforço do controlo da transmissão; o reforço da Vacinação e a clareza e coerência da Comunicação.

Já no início deste mês perante a nova matriz de risco e a abolição da realização dos testes de despiste após o 6º dia a todos os viajantes que se deslocassem do exterior para a Região e nela permanecessem por um período superior ao mencionado, o GPPS manifestou as preocupações inerentes a tais medidas e reforçou os três aspetos que no nosso entendimento se revelam essenciais no combate a esta Pandemia durante o tempo em que a mesma perdurar.

Segundo os socialistas, o facto de desde o início deste ano os testes realizados ao 6º dia terem permitido identificar mais de 300 casos positivos de COVID-19 com uma maior expressividade nos meses de julho e agosto, considerando que a decisão do Governo Regional em abolir a realização destes testes num momento em que na Região se registava uma subida no número de casos diagnosticados por esta via, leva o GPPS a manifestar e reiterar preocupações relativamente ao combate à Pandemia, e apela ao Governo que reforce o controlo da transmissão, reforce a Vacinação e clareza e coerência da comunicação.

AA/GPPS