Horta apoia preservação do património religioso edificado

“O património religioso edificado da ilha do Faial é muito rico e tem que ser preservado”, defendeu o presidente da Câmara da Horta, por isso mesmo é imperativo que se olhe para esse património com respeito e atenção para que, daqui a uns dias, esse mesmo património não esteja obsoleto”.

No dia em que foram assinados dois protocolos de cooperação entre a Câmara Municipal da Horta e a Comissão dos Assuntos Económicos da Igreja do Divino Espírito Santo da Feteira e da Paróquia de Santa Catarina, rondando os 20 mil euros, o edil enalteceu o papel desempenhado pelas comissões fabriqueiras, na ilha do Faial, sobretudo pelo trabalho voluntário que têm realizado ao longo do processo de reconstrução das igrejas do Faial.

No caso da igreja da Feteira, a verba alocada ao protocolo assinado é respeitante a pinturas exteriores do monumento, enquanto em Castelo Branco a verba destina- se destina à substituição do soalho.

AA/CMH