Igreja açoriana convidada a ser “uma família de famílias”

O Monsenhor José Medeiros Constância foi chamado de novo a acompanhar o Serviço Diocesano da Pastoral Familiar e, em véspera do dia da Festa da Sagrada Família, que se celebra a 26 de dezembro, primeiro domingo a seguir ao Natal, desafia a Igreja açoriana a ser “Uma família de Famílias”.

“Nestes tempos sinodais, em Igreja, e no ano da “Família Amoris Laetitia”, queremos que a Pastoral Familiar Açores ajude a nossa Igreja Local a ser uma Família de famílias” afirma o sacerdote que, na última década, foi o responsável pela pastoral familiar nos Açores.

“Neste ano pastoral 2021/2022, nesta quadra de Natal e na festa da Sagrada Família é importante que acolhamos e construamos a Pastoral Familiar na nossa Diocese em chave sinodal” salienta ao destacar que esta década e as próximas serão de lançamento e consolidação da sinodalidade na Igreja em todo o mundo.

“A Pastoral Familiar em toda a sua estruturação territorial e na vivência dos movimentos familiares procura seguir a sinodalidade na vida da Igreja Diocesana e universal” alerta elegendo mais quatro desafios subjacentes a esta sinodalidade que se deve concretizar, no que à família diz respeito, “numa espiritualidade incarnada na vida das pessoas que constituem estas casas da Igreja – que são as Igrejas domésticas, as famílias nos Açores”.

Entre os desafios está o aprofundamento de uma pastoral territorial que consolide a presença e a ação dos casais de ligação nas Ouvidorias e os casais da pastoral nas paróquias, “de modo que com presença nos respetivos conselhos pastorais possam pensar e decidir uma pastoral familiar corresponsável a partir das bases e feita pelas famílias”.

“A orientação pastoral e o seu estilo têm como objetivo e como práticas atuais o fazer a família sujeito da Evangelização. As famílias cristãs são, pela graça do Sacramento Nupcial, os sujeitos principais da pastoral familiar”, refere citando a exortação pós-sinodal  Amoris Laetitia.

Procura-se, assim “que os projetos “Pastoral Açores 17”, um casal por cada Ouvidoria, e “Pastoral Açores 165”, um casal responsável por cada paróquia constituam um processo permanente, dinâmico e aberto que conjuntamente com os movimentos familiares cristãos façam a Pastoral Familiar Sinodal”, conclui o sacerdote.

A festa da Sagrada Família, que é celebrada dentro da Oitava de Natal é uma festa que incentiva a aprofundar o amor familiar, examinar a situação do próprio lar e buscar soluções que ajudem o pai, a mãe e os filhos a serem cada vez mais como a Família de Nazaré.

AA/IA