Inauguradas obras de requalificação dos espaços públicos da Fajã das Almas

Encontram-se inauguradas as obras de Requalificação dos Espaços Públicos da Fajã das Almas, Freguesia das Manadas, empreitada que teve um valor global na ordem dos 250 Mil Euros.

A cerimónia de inauguração, que contou com a Presença do Presidente do Município, Luís Silveira, e restante Executivo, foi presidida pelo Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, Alonso Miguel.

A obra em causa, com Projeto da autoria do Gabinete Técnico do Município, passou pela requalificação de inúmeros espaços públicos, nomeadamente a Zona do Poço de Baixa Mar, Miradouros, a criação de novos espaços verdes e de lazer, passando pela reconstrução de paredes de suporte e contenção, colocação de proteções de Inox e Madeira Tratada, e repavimentação de toda a via de acesso pedonal e para motos.

Segundo Luís Silveira, tratou-se de uma obra que pretende, não só, criar mais segurança no interior desta Fajã para a População e todos quantos a visitam, mas sobretudo dar um aspeto mais aprazível e harmonioso que em muito certamente contribuirá para continuarmos a fazer da Nossa Terra um lugar onde cada vez mais se gosta de estar e viver.

Falando na inauguração, o Presidente do Município destacou exatamente esse facto, lembrando que a Ilha promove-se em termos de destino de natureza pelas suas emblemáticas Fajãs, daí a necessidade destas merecerem uma atenção especial por parte das Entidades Públicas, sendo este o trabalho que a Autarquia tem feito, não só nesta, bem como noutras Fajãs do Concelho, dando o exemplo da obra que decorre na Fajã de João Dias, ou em breve as obras a realizar nas Fajãs D’Além, Ouvidor  e Ribeira D’Areia, criando harmonia na reabilitação, usando materiais endógenos, e sem desvirtuar a singularidade que cada uma tem.

Luís Silveira aproveitou a presença do Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas para recordar que as Fajãs são Reserva da Biosfera desde 2016, havendo a necessidade de trabalho conjunto para manter estes espaços com a dignidade que merecem, protegendo-as e indo ao encontro a um desenvolvimento sustentável.

AA/CMV