Isenção das mensalidades em creche abrangeu 1.085 crianças em 2021

O Vice-Presidente do Governo, Regional dos Açores Artur Lima, reconheceu que as “crianças têm de ser um grupo prioritário” no combate à pobreza, por serem “mais desprotegidas”.

“A pobreza infantil é um flagelo social de enormes proporções. É preciso criar condições para que a pobreza não impeça a concretização de sonhos e projetos de vida”, referiu.

“Foi com essa preocupação que, em 2021, isentámos o pagamento das mensalidades em creche até ao 10.º escalão, o que abrangeu cerca de 1.085 crianças”, afirmou, anunciando que, em 2022, esta isenção chegará ao 13.º escalão, abrangendo um “maior número de crianças”.

Artur Lima falava na sessão de encerramento do ‘webinar’ “As Crianças e os seus Direitos”, promovido pela Vice-Presidência do Governo, através do Comissariado dos Açores para a Infância (CAI), que decorreu esta manhã por videoconferência.

 “Estamos cientes da necessidade de introduzir um novo ciclo de políticas para a infância e para as famílias. Políticas que priorizem sempre, e acima de tudo, o bem-estar social da criança”, observou.

Abordando os efeitos da pandemia covid-19 no “desenvolvimento social, educativo e mental das nossas crianças”, Artur Lima lembrou que “é a hora recuperar o que a pandemia tirou e devolver direitos”.

“Nesta matéria, o Governo tem um papel a cumprir: cuidar de quem ficou mais fragilizado, recuperar aprendizagens e estimular a retoma do convívio das crianças entre si e com os outros”, observou.

Este ‘webinar’ faz parte de um conjunto de iniciativas comemorativa do 32.º aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança, que se assinala a 20 de novembro.

Das atividades comemorativas realizadas ou previstas destacam-se ainda a realização de sessões de sensibilização nas escolas, a ornamentação da “Árvore dos Direitos” e a Corrida pelos Direitos da Criança.

AA/GRA