Jazz, ópera e muito cinema entre os destaques da programação do Teatro Micaelense para os próximos meses

A programação do mês de maio no Teatro Micaelense arranca, logo no dia 1, com a segunda sessão do espetáculo “UM”, da Escola de Artes Performativas do Estúdio 13 – Espaço de Indústrias Criativas. No dia 7, regressa ao Teatro Micaelense uma das mais aclamadas vozes do jazz da atualidade, Stacey Kent. A cantora apresenta Songs From Other Places, acompanhada por Jim Tomlinson (tenor saxofone, soprano saxofone) e Art Hirahara (piano). A 28, o Conservatório Regional de Ponta Delgada apresenta a ópera Dido e Eneias, de Henry Purcell, numa encenação de Helena Castro Ferreira, com direção musical de Amâncio Cabral.

Junho é mês de cinema. No dia 1, Dia Mundial da Criança, é exibido I Am Greta, um documentário sobre a ativista Greta Thunberg, que será apresentado em duas sessões, uma para as escolas (por marcação) e outra para o público em geral, em Noites de Cineclube. É também neste mês que o Teatro Micaelense acolhe duas mostras de cinema internacional: a Mostra de Cinema Canadiano, uma iniciativa da Embaixada do Canadá em Portugal, que se realiza de 9 a 11 de junho; e, nos dias 17 e 18, a Mostra de Cinema Sueco Contemporâneo, uma iniciativa do Consulado Honorário da Suécia em São Miguel, que vai já na sua 4ª edição. A programação de junho é também marcada pela estreia no palco do Teatro Micaelense dos FADOalado. O grupo da ilha Terceira, que venceu o programa Got Talent Portugal 2021, atuará a 4 de junho. Nesse mesmo dia, mas à tarde, terá lugar a cerimónia de entrega do Prémio de Artes Visuais Medeiros Cabral, uma iniciativa da Associação Seniores de São Miguel. A encerrar o mês, no dia 28, o Conservatório Regional de Ponta Delgada apresenta o Concerto Margarida Magalhães de Sousa, no qual o pianista Miguel Perdigão, vencedor da primeira edição do Concurso Margarida Magalhães de Sousa, interpretará o concerto de Robert Schumann, acompanhado por alunos e professores do Conservatório de Ponta Delgada, sob a direção do maestro Jan Wierzba.

Em julho, no dia 16, é apresentada Cabraqimera, de Catarina Miranda, uma peça de dança contemporânea para um quarteto em patins,  coproduzida pelo Teatro Micaelense, no âmbito da rede de programação cultural 5 Sentidos, e que integra a programação Walk&Talk 2022. No dia 23, o 37.25 Núcleo de Artes Performativas revisita A Ilha, uma criação de Marco da Silva Ferreira e Victor Hugo Pontes, que o núcleo apresentou, pela primeira vez, em 2013. A encerrar a temporada, no dia 30 de julho, o humorista João Nuno Gonçalo e a Banda Harmonia Mosteirense apresentam Bliconcerto, um espetáculo que alia a música à comédia.

As sinergias com agentes e instituições culturais são fulcrais à construção da programação e ao cumprimento da missão de serviço público do Teatro Micaelense. Na programação deste trimestre, esta primazia é visível nas parcerias com o Estúdio 13 – Espaço de Indústrias Criativas (“UM”), com o Conservatório Regional de Ponta Delgada (“Dido e Eneias”, Concerto Margarida Magalhães de Sousa), com a Associação Seniores de São Miguel (Prémio de Artes Visuais Medeiros Cabral), com a Embaixada do Canadá em Portugal (Mostra de Cinema Canadiano), com o Consulado Honorário da Suécia em São Miguel (Mostra de Cinema Sueco Contemporâneo), com o Walk&Talk (Cabraqimera); com o 37.25 Núcleo de Artes Performativas (A Ilha), com João Nuno Gonçalo e a Banda Harmonia Mosteirense (Bliconcerto).

AA/TM