Lagoa assinala mês de prevenção de maus-tratos na infância

Foi hasteada, no edifício dos Paços do Concelho de Lagoa, a bandeira do “Laço Azul”, que assinala, em abril, o mês da prevenção dos maus-tratos na infância.

Presente neste momento simbólico, o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Frederico Sousa, salientou que, “ainda não temos bem a noção do impacto que estes dois últimos anos de pandemia tiveram na vida das famílias”, acrescentando que, “a Câmara Municipal de Lagoa trabalha sempre com o objetivo de promover o bem-estar das famílias Lagoenses. Temos conhecimento ainda de várias famílias vulneráveis, onde algumas encontram-se marcadas pelo fenómeno das dependências. Não queremos por isso que o flagelo deixe marcas para o resto da vida das crianças e dos jovens, que são os nossos cidadãos futuros, e que não têm responsabilidade de terem nascido num meio difícil e por isso cabe-nos, em conjunto, ajudar a realinhar o trajeto dessas pessoas”.

“Todos temos a responsabilidade de garantir um futuro digno a todas as crianças, que seja saudável e que não cresçam marcadas pelos erros dos adultos que os rodeiam.”, referiu o edil, agradecendo, igualmente, “o trabalho muitas vezes realizado de forma voluntária pela Comissão de Proteção de Menores e Jovens (CPCJ), em detrimento da vida pessoal, a qualquer hora e circunstância, com um sentido cívico enorme que merece todo o nosso respeito”.

Frederico Sousa finalizou a sua intervenção, reiterando a parceria entre a Câmara Municipal de Lagoa e a CPCJ, acreditando que em conjunto, serão uma mais-valia para a proteção de todas as crianças do concelho e realização pessoal dos jovens lagoenses, referindo que essas ocasiões simbólicas também ajudam a alertar para a necessidade de se proteger crianças e jovens.

Já para Edite Preto, Presidente da CPCJ de Lagoa, “este é um momento simbólico, que todos devemos divulgar, porque é um tema que nos diz respeito a todos, devemos passar a palavra. Em pleno século XXI, existem imensos maus-tratos físicos e emocionais que devemos denunciar, sejam eles formas de lesão física ou psicológica, abuso sexual, negligência ou tratamento negligente, exploração comercial ou outro tipo de exploração”.

Por outro lado, Edite Preto agradeceu a colaboração da Câmara Municipal de Lagoa, salientando a profícua parceira destas duas entidades.

Relembra uma nota da edilidade que, em parceria com a Câmara Municipal de Lagoa, a CPCJ de Lagoa, está a realizar durante o mês de abril diversas ações de sensibilização da comunidade para esta problemática, nomeadamente com a distribuição de marcadores de livros às crianças com a história do Laço Azul; Laço Azul humano, com a colaboração de uma escola do concelho; a iluminação a azul de alguns edifícios emblemáticos e o entoar do Hino dos Direitos das Crianças, hino vencedor do concurso, promovido pela CPCJ, no ano de 2021, numa interpretação do Clube de Música da EBI de Lagoa.

AA/CML