Lajes do Pico sensibiliza população no âmbito dos resíduos orgânicos

A Câmara Municipal das Lajes do Pico promoveu, na primeira semana de março, uma ação de sensibilização, em todos os estabelecimentos de restauração e cantinas do concelho, no âmbito da recolha seletiva dos resíduos orgânicos, através da entrega de um biocontentor para a deposição dos restos de cozinha, conjuntamente com as regras de separação e folhetos informativos e o cronograma de recolha dos resíduos no concelho.

Este projeto, de implementação da recolha seletiva destes biorresíduos, teve início no passado mês de novembro, durante semana de 21 a 29, inserido na Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos, onde foram colocados 22 ecopontos castanhos, juntos às superfícies de restauração, snack-bares e cantinas das escolas e Lares de Idosos do concelho. Este projeto contou com o apoio da Direção Regional do Ambiente e Alterações Climáticas e a parceria da Associação de Municípios da Ilha do Pico.

Atualmente está a ser alargada à população em geral e restantes instituições (salões que realizam refeições aquando das comemorações do Divino Espírito Santo), com o reforço de 45 ecopontos de 800 litros na via pública, para a recolha seletiva de biorresíduos e a distribuição em todos os lares um folheto com as regras de separação e esclarecimento de dúvidas. Permitindo assim a separação dos restos de cozinha e podas de jardins; nomeadamente restos de legumes, cascas de frutas, cascas de ovos, saquetas de chã, borras de café, carne e peixe cozinhados, restos de pães e bolos, folhas e aparas de jardim e ramos pequenos e ainda toalhas e guardanapos de papel.

Serão ainda entregues, oportunamente, às empresas de restauração e instituições um biocontentor individual de maiores dimensões, com 50 litros, para o incentivo à recolha seletiva dos resíduos orgânicos e assim permitir a redução dos resíduos indiferenciados.

Com esta iniciativa permite-se evitar a contaminação dos resíduos que podem ser valorizados, através da reciclagem, produzir um composto de qualidade podendo ser utilizado como fertilizante natural na agricultura, diminuir a quantidade de resíduos depositados em aterros, aumentando assim a sua vida útil, reduzir a emissão de gases com efeito de estufa e contribuir para a economia circular, permitindo assim, ao aumentar a taxa de reciclagem diminuir a taxa aplicada aos tarifários de resíduos.

Considerando que cerca de 30% dos resíduos que vão para o aterro, produzidos no concelho, são orgânicos, podendo estes ser reciclados, apela-se a que toda a população realize a separação dos seus resíduos e proceda à sua consequente deposição nos ecopontos castanhos, assim como as embalagens, através da correta deposição nos ecopontos correspondentes por forma aumentarmos a taxa de reciclagem e assim ser possível reduzir os tarifários.

Consulte o mapa com a distribuição geográfica dos novos contentores “castanhos”, destinados aos resíduos orgânicos, procedendo à sua deposição forma consciente e de acordo com o cronograma de recolha.

AA/CMLP