Município prepara-se para lançar hasta pública para exploração de três novos quiosques

A Câmara Municipal de Ponta Delgada vai lançar hasta pública para a exploração de três novos quiosques em localizações centrais da cidade. Ao procedimento, a realizar durante o mês de maio, poderão concorrer todas as pessoas, singulares ou coletivas, que se inscrevam para o efeito.

Os novos equipamentos, propriedade da autarquia e cedidos para exploração privada nos termos a publicitar brevemente, serão instalados no Jardim Antero de Quental e no Largo Almirante Dunn, para atividades ligadas a cafetaria com esplanada, e no Largo 2 de Março, para atividade ligada à venda de flores e plantas.

“Este investimento público tem como objetivo dinamizar e reavivar as pracetas e jardins da cidade, respondendo também às várias solicitações de particulares para a ocupação de espaço público e à crescente tendência deste tipo de equipamentos como espaços privilegiados de lazer ao ar livre, integrados de forma amigável na paisagem urbana das cidades”, explica Alexandra Viveiros.

Segundo a Vereadora com o pelouro do Espaço Público, os quiosques, concebidos com um modelo visual uniforme, recriam com contemporaneidade a estética associada aos quiosques tradicionais, além de permitirem, face às dimensões moderadas, a instalação de pequenos negócios sem comprometer a normal fruição do espaço público.

Alexandra Viveiros adianta que a montagem destes três novos quiosques, que deverão estar em funcionamento no início da época de verão, será sucedida pela chegada de outros dois quiosques no mês de junho, um a instalar no Campo de São Francisco e o outro no Parque Urbano da cidade. 

“Este é um contributo determinado e efetivo da Câmara Municipal de Ponta Delgada para a dinamização dos espaços públicos e para a promoção do auto-emprego ou da retoma de negócios já existentes nestas áreas comerciais, entretanto paralisadas ou limitados pelo atual contexto económico”, explica.

A autarca explica ainda que o “investimento inicial mais significativo é assumido pela autarquia, ficando a cargo do explorador apenas a aquisição e instalação de equipamentos interiores e do mobiliário da esplanada”.

AA/CMPD