Museu de Angra do Heroísmo inaugura mostra “A Ilha Terceira em Tempos de Peste”

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digita, através da Direção Regional da Cultura inaugura este sábado, 10 de abril, a mostra “A Ilha Terceira em Tempos de Peste” no Museu de Angra do Heroísmo (MAH).

O espaço renova a sua oferta expositiva, inaugurando no dia 10 de abril, pelas 15h00, esta exposição, patente até 3 de outubro deste ano.

Esta exposição pretende dar a conhecer como se reagiu localmente a algumas das epidemias que aqui aportaram, desde o século XVI até à atualidade, espelhando o duelo humano entre a doença e a medicina, a superstição e o esclarecimento, a morte e a vida.

A narrativa expositiva constrói-se a partir de peças do acervo do MAH, nomeadamente máscaras e vacinas antipestosas, doadas pelos herdeiros do médico Henrique Henriques Flores, e o cruzeiro central do claustro do antigo convento de Santo António dos Capuchos (1696), bem como outras cedidas temporariamente pela Santa Casa da Misericórdia da Praia da Vitória e pela Farmácia Pimentel.

A mostra conta ainda com a participação do fotógrafo Timothy Lima, autor de quatro fotografias em grande formato que remetem para o contexto pandémico atual, destacando o papel essencial dos profissionais de saúde na luta contra a COVID-19, a quem o Museu de Angra do Heroísmo dedica a presente exposição.

No âmbito desta inauguração, terá lugar, pelas 15h00, uma conferência por João Neto, Diretor do Museu da Farmácia e Presidente da Associação Portuguesa de Museologia (APOM), intitulada “Pandemias e Políticas ao Longo da História”,  após o que se seguirá a abertura da exposição.

A conferência poderá ser assistida presencialmente no auditório do MAH ou virtualmente, quer no canal da estação televisiva VITEC, quer mediante o acesso à plataforma Microsoft Teams.

No decorrer das atividades, serão asseguradas todas as medidas de segurança sanitária estabelecidas pela Autoridade de Saúde.

O programa de ações de dinamização desta nova exposição do MAH, a concretizar durante o período de vigência da mesma, inclui uma visita temática à hora do almoço subordinada ao tema “Pragas, Pestes e Curas”, uma saída de campo aos cemitérios do Livramento e da Conceição, uma comunicação sobre as virtudes medicinais de plantas, um ateliê infantil de arqueologia e uma oficina sobre superstições e mezinhas tradicionais.

AA/GRA