Museu de Lagoa pretende integrar Rede de Museus e Coleções Visitáveis dos Açores

A Câmara Municipal de Lagoa entregou o pedido para integrar o Museu de Lagoa-Açores na Rede de Museus e Coleções Visitáveis dos Açores.

A edilidade considera que integrar esta Rede facilitará o estabelecimento de parcerias com as instituições congéneres do arquipélago, a cooperação técnica e a otimização de recursos. Esta integração reforça a vontade de construir pontes que beneficiem o seu público. Nessa ótica várias instituições concelhias têm vindo a implementar o uso de aplicações que também são, ou serão usadas pelas suas congéneres regionais, nomeadamente o ATOM para o Arquivo Histórico Municipal, já disponibilizado ao público, o KOHA para a Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira e o Collective Access para o Museu, estes últimos em fase de instalação.

Relembra uma nota da autarquia que, o Museu de Lagoa-Açores, a Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira, e o Arquivo Histórico Municipal, aberto ao público no ano passado, constituem os três pilares da memória do concelho, e têm todos sede no antigo convento franciscano de Santo António, na freguesia de Santa Cruz.

A Câmara Municipal de Lagoa tem vindo a investir no seu Museu, nomeadamente na implementação de museografias pedagógicas e no estabelecimento de protocolos com instituições concelhias que desenvolvem atividade na mesma área, mais especificamente com as fábricas da igreja Matriz de Santa Cruz e da igreja de São José da Ribeira Chã, bem como com o proprietário da Tenda de Ferreiro Ferrador, João Benevides, de modo a garantir a presença da instituição nas cinco freguesias do concelho.

De salientar que, a Rede de Museus e Coleções Visitáveis dos Açores é um sistema organizado, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus, sendo um local de partilha de conhecimentos, de experiências, curiosidades e inspirações, através da mostra da diversidade cultural e identitária do arquipélago dos Açores.

Os principais objetivos da Rede passam pela valorização do património móvel dos Açores como recurso identitário, cultural e tecnológico; a valorização e a qualificação da realidade museológica na Região Autónoma dos Açores; a cooperação institucional e a articulação entre museus; a otimização e partilha de recursos; o planeamento e a racionalização dos investimentos em museus; a qualificação e difusão da informação relativa aos museus; a promoção do rigor e do profissionalismo das práticas museológicas e das técnicas museográficas; o fomento de parcerias inovadoras que contribuam para a dinamização e afirmação cultural da Região e a cooperação entre museus e entidades detentoras de coleções visitáveis, destaca a mesma nota enviada às redações.

AA/CML