O impacto da COVID-19 nas empresas turísticas

O Observatório do Turismo dos Açores (OTA) lança um inquérito para calcular o impacto da COVID-19 nas empresas da região

Os principais resultados mostram uma quebra bastante expressiva da atividade das empresas na época alta de 2020, com efeitos muito adversos sobre o volume de negócios. Cerca de 69.2% das empresas tiveram uma redução acima de 70% redução no volume de negócio.

Neste período de pandemia o impacto sobre o emprego foi relativamente contido, desde o início da pandemia 90.1% das empresas turísticas não efetuaram despedimentos. Porém, na época alta de 2020 observaram-se reduções acentuadas no pessoal a trabalhar, 71.5% das empresas aplicaram o “lay-off” aos seus trabalhadores. Destas empresas que aplicaram o “lay-off”, 60.3% aplicaram a mais de 90% dos seus funcionários.

No que diz respeito às medidas sanitárias aplicadas na RAA, 78.1% das empresas do sector turístico concordaram com a aplicação das medidas. Das empresas inquiridas, 19% referiram que o volume de residentes a procurarem oferta turística foi superior ao ano de 2019. E portanto, estes dados refletem-se no grau de satisfação das empresas em relação ao incentivo à realização de férias nos Açores. Em que cerca de 42% das empresas, ficou indiferente em relação ao incentivo “Viver os Açores” e 37% das empresas consideraram-se satisfeitas.

O inquérito revela que as empresas turísticas consideram que o turismo dos Açores terá que apostar com urgência nos curto e médio prazos em melhorar as acessibilidades aéreas da região, atraindo novas companhias aéreas regulares a operarem de e para o destino, em facilitar a visita a todas as ilhas, melhorando a rede de transportes inter-ilhas. Inclui também a promoção de atividades ao longo de todo o ano, atraindo segmentos específicos de turistas para combater a sazonalidade.

Por fim, o inquérito demonstra que as empresas consideram importante inovar a oferta apostando nas novas tecnologias, através de apoios externos no uso de novas tecnologias na sua atividade. Das empresas inquiridas 83.5% consideram pertinente/muito pertinente inovar através de experiências de turismo criativo.

Aceda ao inquérito aqui.

AA/OTA