Obras na escola e centro de saúde do Corvo vão garantir maior qualidade de vida aos corvinos

O Presidente do Governo Regional dos Açores sublinhou que os projetos de empreitada na Escola Básica e Secundária e no Centro de Saúde da ilha do Corvo vão melhorar a qualidade de vida dos residentes na ilha.

“Este Governo está com o Corvo e os corvinos, pelo seu desenvolvimento e a sua qualidade de vida”, garantiu o Presidente do Governo, falando no segundo de três dias de visita estatutária à ilha do Corvo, numa tarde em que foram apresentados projetos de ampliação da escola local e da unidade de saúde da ilha.

“Cá estamos a fazer um esforço para intervir em todas as áreas que são prioritárias para dignificar a presença da ação governativa aqui na ilha do Corvo. Estas são obras importantes, há muito reivindicadas. No caso do edifício de saúde nem sequer havia qualquer projeto”, sinalizou José Manuel Bolieiro.

A obra na escola incorporará uma cantina e uma sala para terapias, estando, até em finais de março, aberto o prazo para a entrega de propostas. Espera-se que o início das obras suceda em julho e a sua conclusão em abril de 2023.

Uma das prioridades do Governo, concretizou José Manuel Bolieiro, é “valorizar os açorianos” seja qual for a sua ilha de residência, sendo as áreas da educação e da saúde algumas das mais prementes nesse sentido.

Antes das visitas à escola e à unidade de saúde, o XIII Governo Regional dos Açores reuniu-se com elementos do Conselho de Ilha passado da ilha – atualmente não está instalado o órgão – e representantes da sociedade civil e económica do Corvo.

Após o encontro, o Presidente do Governo lembrou a novidade do voo introduzido na ilha ao domingo, uma mais-valia para a mobilidade dos corvinos.

No que refere à sustentabilidade e autonomia energética do Corvo, há o empenho do XIII Executivo dos Açores para tornar a ilha uma “referência”, sendo também desejável o recurso à mobilidade elétrica, nomeadamente nas viaturas ligeiras que o Governo ou a administração regional “tenha necessidade de substituir”, assim “diminuindo as necessidades de recurso ao combustível de origem fóssil”.

Já no campo da habitação, o plano atual passa por “estabelecer uma referência quanto a oportunidades imediatas”.

“Estamos, no âmbito das diligências feitas pela Vice-Presidência, a adquirir uma habitação para fazer reabilitação da mesma e garantir mais oferta de dormida”, e há igualmente, a possibilidade de se encontrar terrenos para loteamento, nomeadamente para habitação a longo prazo no Corvo.

“Faço um apelo a todos os proprietários que queiram e possam fazer reabilitação das suas casas que o façam. Mas é verdade que muitos teriam gosto em fazê-lo, mas por falta de mão de obra ou estaleiro montado para as obras têm sentido dificuldades. Estamos a trabalhar para ter uma solução integral e integrada”, concretizou o Presidente do Governo.

AA/GRA