Oito meses de Governo caracterizam-se por assalto à administração regional …

O Presidente do Grupo Parlamentar do PS no Parlamento Açoriano realçou que o atual Governo Regional “assaltou a administração regional, resume-se a atirar dinheiro para cima de qualquer assunto e copia soluções do passado, em vez de procurar soluções para o presente”.

Vasco Cordeiro falava na cidade da Horta, onde decorre o plenário da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

“Quem ouvisse a comunicação do Sr. Presidente do Governo e ignorasse que este Governo está em funções há cerca de oito meses, acharia que o Sr. Presidente do Governo está em campanha eleitoral”.

“O Governo é lesto na distribuição de milhões, mas é parco numa estratégia de longo termo para a nossa Região”, acusou o socialista.

Vasco Cordeiro realçou que o Presidente do Governo “elogia – e bem – a Tarifa Açores, mas depois não faz qualquer menção ao impacto que esta pode ter no transporte marítimo de passageiros e de carga rodada”.

O líder parlamentar do PS lembrou que este Governo tem à sua disposição receitas extraordinárias na ordem dos 200 milhões de euros, com 85 milhões de euros transitados do anterior Governo, um “aspeto essencial e relevante” para explicar a “forma como este Governo anuncia a distribuição de milhões”.

Nesta matéria, Vasco Cordeiro acusou o Governo de aumentar a dívida da Região em sensivelmente meio milhão de euros.

O deputado socialista frisou que, para além disso, este Governo Regional “tomou de assalto a administração pública regional”, sendo este “o maior Governo Regional de sempre, como comprovam as orgânicas que têm vindo a ser publicadas”.

A este respeito, Vasco Cordeiro denunciou que as orgânicas recentemente publicadas “substituem cargos de chefes de divisão e diretores de serviços por coordenadores, que são, ao contrário dos anteriores, de nomeação e não de concurso público, como era feito anteriormente”.

Referindo-se às áreas do Mar, ao investimento no Pólo MARTEC, à aquisição de um novo navio de investigação científica e a um conjunto de investimentos noutras áreas com as quais “o PS concorda”, Vasco Cordeiro destacou que “este Governo se preocupa mais em reproduzir soluções e investimentos do passado do que em fazer diferente, quando a realidade de hoje implica que fossem tomadas medidas diferentes em relação aquilo que foi feito há vários meses atrás”.

AA/PS