Orçamento Participativo ajuda a desenvolver “sentido de responsabilidade” dos cidadãos

O Presidente do Governo Regional dos Açores definiu o Orçamento Participativo da região como um elemento decisivo na construção de uma “democracia participativa”, sublinhando que a iniciativa ajuda a desenvolver o “sentido de responsabilidade” dos cidadãos.

“Que meios tenho e disponho? Que necessidades quero satisfazer e que alocação de recursos é que posso garantir? Isto ajuda a criar este sentido de responsabilidade”, disse o governante, dirigindo-se virtualmente a largas dezenas de açorianos que acompanharam hoje na Internet o anúncio dos vencedores do 4.º Orçamento Participativo dos Açores (OP Açores).

Para José Manuel Bolieiro, com esta medida fica claro o entendimento de que “cada ilha vale por si e pelo todo” regional, sendo o OP Açores um “elemento essencial” para se demonstrar uma passagem “das palavras aos atos” no que diz respeito à promoção de uma democracia participativa.

O Presidente do Governo deixou ainda uma palavra de estímulo a todos os que concorreram à iniciativa e “se submeteram ao escrutínio”, pedindo que haja uma palavra dos concorrentes sobre o “impacto na comunidade” dos projetos vencedores, sendo “importante fixar memória nas pessoas” de que determinada obra, iniciativa ou projeto decorreu do OP Açores.

A implementação do OP Açores é um compromisso do Governo Regional dos Açores com o objetivo de envolver os cidadãos no processo de decisão política, decisivo para uma autonomia consolidada e de futuro.

Através do OP Açores – Edição de 2021, os açorianos puderam decidir como investir 1,2 milhões de euros nas áreas da Agricultura, do Ambiente, da Ciência, da Cultura, da Inclusão Social, da Juventude, do Mar e Pescas e do Turismo.

O Governo Regional dos Açores congratula os açorianos pela forte adesão ao Orçamento Participativo dos Açores, que promove a democracia participativa e o envolvimento dos cidadãos na tomada de decisão sobre a aplicação de verbas públicas. Os açorianos sugeriram e escolheram, de forma fácil e direta, ideias de investimento público a executar nas nove ilhas dos Açores, pelo executivo açoriano.

AA/GRA