Palhaças invadem Museu do Pico no Fringe

Em 2019 foi anunciada a parceria entre MiratecArts e Descalças Cooperativa Cultural para trazer uma extensão de Bolina – Festival internacional de Palhaças até à ilha do Pico. Esta semana, durante o  Azores Fringe Festival, aconteceu pela primeira vez. 

Terry Costa e Maria Simões, diretores dos festivais, têm vindo a colaborar através do Azores Fringe, o festival internacional de artes nos Açores, desde a sua primeira edição. Inspiradas nos poucos festivais de palhaças que existem no mundo, o Bolina – Festival Internacional de Palhaças, produzido por Descalças Cooperativa Cultural, em 2015, aconteceu na ilha de São Miguel, Açores. A segunda edição reuniu em 2017 a Rede Internacional de Palhaças em Castelo de Vide. A 3a edição, em 2019, abrangeu várias localidades do Alto Alentejo com sede em Portalegre. Este ano, Castelo de Vide acolheu a quarta edição do Bolina e a extensão à ilha montanha, onde palhaças invadiram o Museu do Pico e ainda fizeram várias intervenções por locais conhecidos como o Cella Bar, lideraram workshops e as artistas Susana Cecílio, Poliana Tuchia e Maria Simões (artistas que fazem parte da recém-criada UPP – União de Palhaças em Portugal) apresentaram ainda uma noite de Contos e Cantos de Mulheres na Biblioteca Municipal da Madalena.

“Estamos assim a criar um espaço de encontro e reflexão entre as participantes, proporcionando formação a artistas e público em geral, bem como dar ao público local e turista a possibilidade de assistir a espetáculos de elevada e reconhecida qualidade artística internacional” diz Maria Simões a fundadora do Bolina. Para Terry Costa esta é mais uma vertente para incentivar artistas aos programas da MiratecArts e de dar mais oportunidades de apresentação e desenvolvimento não só às participantes, mas também às audiências açorianas, especialmente na ilha do Pico.

AA/MA