Parlamento aprova bolsa de estudo para formação de novos professores

O parlamento açoriano aprovou esta uma proposta para a criação de uma bolsa de estudo para alunos da Região que pretendam frequentar mestrados na área da formação de professores, uma iniciativa que visa responder à acentuada falta de docentes.

Segundo o deputado social democrata Joaquim Machado, “serão mais de 300 os professores que se vão reformar nos Açores durante os próximos três anos”, uma realidade “que a inércia da governação socialista não acautelou”, daí “esta iniciativa, que é um passo para a resolução do problema”, explicou.

“Trata-se de uma bolsa de estudo de cerca de 450 euros – 65% do salário mínimo regional -, a atribuir por cada dez meses dos dois anos do curso de mestrado. Um incentivo para quem já frequenta ou venha a ingressar no ensino superior possa ver na profissão de professor o seu projeto de vida”, acrescentou.

O parlamentar lembra que a solução “já devia ter sido encontrada há cinco anos, porque é esse o tempo que demora a formar um professor. Mas a verdade é que, se nada se fizer, vamos ter, no imediato, um problema agravado de falta de professores para responder às necessidades normais do sistema educativo regional”.

Joaquim Machado sublinhou que “a falta de professores já não é um problema exclusivo das ilhas mais pequenas ou dos concelhos periféricos dos Açores, pois atinge também as grandes cidades”.

Assim, a iniciativa aprovada prevê que se possam candidatar a esta bolsa de estudo “os alunos que comprovem estar matriculados em mestrados na área da formação de professores, desde que residam na Região ou nela tenham frequentado todo o ensino secundário”, disse o deputado.

Joaquim Machado destacou que os alunos abrangidos “ficam obrigados a concorrer, imediatamente após a conclusão do mestrado, aos concursos de pessoal docente da Região, e até ingressarem nos quadros de escola ou regional, pelo período máximo de três anos”.

AA/PSD