Partido Socialista defende “importância da conservação e tratamento do património cultural do cantador João Ângelo”

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista dos Açores defendeu no plenário do Parlamento dos Açores “a importância de fazer as diligências necessárias para a preservação e tratamento do espólio e património cultural do cantador Tio João Ângelo”.

Intervindo no âmbito de um voto de pesar pelo falecimento recente do cantador João Ângelo, o Deputado Berto Messias referiu a “sugestão à Secretaria Regional da Cultura e à Câmara Municipal de Angra do Heroísmo em parceria com as entidades locais para que seja feito um aturado trabalho para a preservação e tratamento deste património, tendo em conta tudo o que o Tio João Ângelo representou, representa e certamente continuará a representar para a cultura popular terceirense e açoriana”.

“No dia 18 de abril deixou-nos um dos mais relevantes vultos da cultura popular terceirense e, provavelmente, o nome maior da cantoria na segunda metade do Século XX, afirmando-se como uma referência desta extraordinária arte, depois de outro grande vulto, conhecido como o Charrua”, disse Berto Messias.

Para o parlamentar socialista “o Tio João Ângelo, era generosidade e bonomia, simplicidade e amizade, chegando a várias gerações era, no fundo, muito do que somos todos enquanto povo e enquanto comunidade”, recordando ainda “as noites em que na infância e juventude, nos arraiais das festas nas freguesias terceirenses, os mais novos aguardavam ansiosamente para o final da cantoria tradicional para ouvir as Velhas onde João Ângelo era exímio”.

“No dia 18 de abril, deixou-nos um grande vulto da cultura popular terceirense e açoriana, um filósofo do povo, um improvisador exímio, mas deixou-nos sobretudo um homem bom, cuja alegria e boa disposição nos contagiou a todos e, certamente, vai continuar a tocar, a quem este grupo parlamentar presta uma sentida homenagem, à família e a todos os que tiveram o privilégio de ouvi-lo e de privar com ele”, disse Berto Messias.

AA/PS